Startups: 9 lições que as grandes empresas podem aprender com startups de sucesso

Daniela Schermann
Startups: 9 lições que as grandes empresas podem aprender com startups de sucesso

O mercado de startups no Brasil está em plena ascensão. Com novas startups surgindo a todo momento, muitas conseguem se consolidar e ter sucesso. Enquanto isso, porém, várias delas também acabam naufragando antes de encontrar um lugar ao sol.

Mesmo sendo ainda um mercado recente, as startups já trazem muitas vantagens para a economia e tem um potencial de crescimento enorme. Muitos ecossistemas de startups se formaram fora do eixo Rio-São Paulo, em cidades como Belo Horizonte, Recife e Florianópolis, aumentando a oferta de emprego e a receita dessas cidades.

Se você pensa que as startups são pequenas empresas que precisam aprender com as grande para poder crescer, nós vamos te mostrar neste post que você está muito enganado. A verdade é que startups são empresas que começam pequeno, mas sonham grande e crescem muito rápido. E as grandes empresas do país tem muito o que aprender com a mentalidade que faz parte da cultura das startups.

Separamos aqui 9 lições valiosas que as empresas podem aprender com as startups – e essas são apenas alguns aprendizados. Vamos lá?

O que é startup

Antes de mais nada, se você esteve completamente afastado do mundo empreendedor nos últimos anos e não faz ideia do que é uma startup, a gente explica. Conceitualmente, startups são empresas que estão na fase inicial do negócio e que desenvolvem produtos ou serviços inovadores com potencial de alto crescimento e, consequentemente, alta rentabilidade para os seus investidores.

Ou seja, startups na verdade são um estágio na vida de uma empresa. Diferentemente do que muita gente pensa, o que caracteriza uma startup não é oferecer produtos de tecnologia, mas sim sua capacidade de ganhar escala rapidamente. O que acontece é que os produtos e serviços digitais normalmente ganham escala mais rapidamente do que os físicos. Por isso, boa parte das startups oferecem soluções digitais. Mas esta não é uma regra.

Recomendado para você:  Como fazer pesquisa de mercado para abrir uma empresa

Vamos agora às principais lições que as grandes empresas podem aprender com startups de sucesso:

1. Foco no cliente

Ainda que este pensamento seja muito associado às startups, esta premissa deve fazer parte de qualquer empresa contemporânea. Ter foco no cliente significa colocar o cliente no centro da sua estratégia.

Ou seja, se você vai criar um produto, é porque ele vai resolver uma dor do seu cliente, e não porque ele vai aumentar sua receita. Se vai gerar um novo canal de vendas é porque seu cliente prefere se comunicar por este canal. Se vai desenvolver uma nova funcionalidade no seu site, é porque isso vai melhorar a usabilidade do seu cliente.

Em outras palavras, o conceito de foco no cliente determina que todos os esforços da empresa devem ser voltadas para atender as necessidades do cliente, surpreendê-lo positivamente, criar uma experiência do consumidor inesquecível e intensificar a relação dele com a sua marca.

2. Comportamento do consumidor é a chave do sucesso

Para você ter foco no cliente, conhecer o seu consumidor em profundidade é essencial. E isso as startups também já entenderam. Pesquisas de mercado, dados de marketing e vendas e vários outros tipos de informação são fundamentais para quem quer conhecer o seu cliente a fundo.

Aqui no Opinion Box, por exemplo, nós coletamos dados e informações sobre o nosso consumidor desde o primeiro dia da empresa. E isso nos permite tomar decisões e agir com segurança, pois sabemos o que o nosso consumidor deseja.

Startups: 9 lições que as grandes empresas podem aprender com startups de sucesso

3. Inovação nunca é demais

Quem já viu o filme do Steve Jobs, leu sua biografia ou estudou um pouco sua carreira lembra daquela icônica história da Apple sendo criada na garagem dos seus pais. A todo momento, temos um jovem ou um grupo de jovens criando uma startup tendo em mente essa imagem e desejando que sua startup seja a próxima Apple.

Mas a verdade é que é exatamente pela quantidade de pessoas correndo atrás desse mesmo sonho que o mercado de startups é extremamente competitivo. E a melhor forma de se diferenciar e se destacar é através da inovação. Seu produto precisa ser inovador e o modelo de gestão da sua empresa precisa ser inovador. Mais do que isso. Os processos de trabalho tem que ser inovadores e as pessoas que formam o seu time precisam ter um perfil extremamente inovador.

Isso vale para startups e também para grandes empresas que querem se atualizar e se diferenciar. Uma das grandes dificuldades das grandes empresas é justamente se adaptar a este perfil inovador. Como são muitos funcionários, os processos são engessados e a capacidade de mudança acaba sendo mais lenta. Por isso, adotar uma nova ferramenta, mudar um processo já estruturado ou se inserir na transformação digital se torna algo muito mais difícil.

Startups: 9 lições que as grandes empresas podem aprender com startups de sucesso

4. A importância de um time motivado

Falei no item anterior sobre a importância de se ter um time inovador. Mas, mais do que isso, é preciso ter um time formado por profissionais realmente brilhantes. Uma das principais características de uma startup é exatamente o time enxuto. Por isso, elas precisam ter menos pessoas fazendo mais coisas.

Em troca, é preciso oferecer condições de trabalho recompensadoras. Normalmente, o salário que as empresas que estão nos estágios iniciais podem pagar não é muito alto. É por isso que elas precisam se diferenciar de outras formas.

Relações mais horizontais, flexibilidade, ambiente descontraído, incentivo a cursos e especializações e até sinuca, ping-pong e tobogã (é sério!). Esses são alguns dos benefícios que as startups oferecem.

Se a sua empresa ainda está presa ao vale-refeição e ao plano de saúde, vale a pena entender melhor o que os seus colaboradores querem e oferecer condições de trabalho e benefícios que realmente sejam diferenciais e que deixem o time motivado.

5. Simples assim

Sabe aquela frase, que diz que a simplicidade é a máxima sofisticação? Essa é uma das principais regras de uma startup. Menos burocracias para processos mais simples e produtos com menos recursos desnecessários mas que cumpram bem suas funções principais.

Para se diferenciar, portanto, é preciso ter a simplicidade o tempo todo em mente. Parece um contrassenso? Pois tente aplicar a simplicidade na sua empresa e você vai ver que não é tão fácil assim. Mas pode trazer resultados surpreendentes.

6. Agilidade para pensar e agir

Ao lado da simplicidade, caminha a agilidade. Decisões são tomadas de forma ágeis, ações são executadas com velocidade. Se o mercado é competitivo, não podemos perder tempo. Se o time é enxuto, não podemos alocar recursos desnecessariamente. Se o orçamento é escasso, não podemos desperdiçar nada.

Existem inclusive metodologias para tornar o dia a dia da startup mais ágil, como a metodologia Scrum e o Design Sprint.

7. Como trabalhar com orçamento enxuto

O que as pessoas fazem quando estão com dificuldades financeiras? Normalmente, encontram formas criativas tanto para economizar quanto para complementar a renda. Começam a fazer produtos para vender, ou vendem aquilo que já não estão mais utilizando, e se livram daquilo que é supérfluo para enxugar o orçamento.

O mesmo acontece nas empresas. As startups, que já nascem com orçamento enxuto e grandes sonhos, se tornam extremamente criativas. Dessa forma, podem alcançar os resultados desejados mesmo com verba limitada.

8. Startups sabem correr riscos

Normalmente, grandes empresas têm dificuldade para correr riscos. É claro que existem diferentes tipos de risco e, no caso de grandes empresas, as consequências podem ser muito grandes também. Mas, quando estamos falando em correr riscos, não estamos dizendo que as empresas precisam ser irresponsáveis ou inconsequentes.

A questão é que, por mais que a gente utilize dados para avaliar o cenário, por mais que tentemos prever os prós e contras, tem horas que a gente só vai saber se uma estratégia vai ser de sucesso ou não depois que a gente implementá-la.

Nessas situações, as startups costumam correr mais riscos do que as grandes empresas. E, muitas vezes, correr o risco é o que pode salvar um negócio ou colocá-lo a frente da concorrência.

9. Como ser encontrado pelo cliente

Grandes empresas, que já têm mais tempo de mercado, nasceram na época em que, para se tornar conhecido, você precisava ir atrás do seu cliente. Isso acontecia no mundo offline, quando as empresas precisavam investir em mídia, telefonar para os seus prospects ou recorrer a outras estratégias para se tornar conhecidas.

Hoje, essas ações continuam válidas, mas existem outras formas de se tornar conhecido. Por exemplo, ao invés de ir até o seu cliente, você pode fazer com que o seu cliente venha até você. Estratégias de SEO, mídia paga em redes sociais, marketing de conteúdo e muitas outras estratégias de marketing digital permitem tornar sua marca conhecida sem necessariamente precisar ficar oferecendo produtos para o seu público-alvo.

É claro que já existem grandes empresas se beneficiando do marketing digital. Mas a verdade é que muitas ainda não possuem nem site responsivo direito – e estão perdendo grandes oportunidades de negócio.

Opinion Box: a melhor startup de marketing de 2018

Ok, as startups trabalham de um jeito diferenciado e inovador. Mas elas estão tendo resultado?

Muitas startups estão se destacando no mercado e se diferenciando em diferentes campos de atuação. O 100 Open Startups é um ranking que destaca as principais startups do país. O mais legal é que as startups são escolhidas exatamente pelas grandes empresas do mercado.

Pelo segundo ano consecutivo, o Opinion Box liderou o ranking de marketing e ficou em terceiro lugar no ranking geral das startups mais atraentes do mercado. Confira o ranking completo e, para conhecer mais o trabalho do Opinion Box, visite o nosso site.

Também poderá gostar de:

Os números da Transformação Digital no Brasil Porcentagens, valores, indicadores, estatísticas e pesquisas. Hoje, quero falar sobre os números da transformação digita...
10 tendências de pesquisa de mercado e opinião para 2016 As listas de tendências para o ano que vem estão por todos os lados e nós não poderíamos deixar de preparar as nossas ap...
AUTOR
Daniela Schermann

Daniela Schermann

Jornalista e Líder de Marketing do Opinion Box, é especialista em Inbound Marketing e entende tudo sobre pesquisa e comportamento do consumidor. Prefere ser chamada só de Dani e está sempre aprendendo alguma coisa nova.

Daniela Schermann
Receba nossas novidades por e-mail