Planejamento estratégico: o que é e como fazer

Pedro D'Angelo
Planejamento estratégico: o que é e como fazer

Toda empresa precisa ter claro onde ela quer chegar. Traçar metas e objetivos a curto, médio e longo prazo é fundamental para se saber o que fazer, onde investir e o que mudar ou melhorar. É por isso que qualquer empresa precisa fazer um planejamento estratégico.

Nós vamos explicar detalhadamente tudo o que você precisa para fazer um planejamento estratégico de sucesso.

Vamos lá?

O que é planejamento estratégico

Planejamento estratégico é um processo que tem como objetivo traçar as diretrizes da empresa para um determinado período de tempo. Normalmente, as empresas realizam o planejamento estratégico no fim do ano, para se preparar para os próximos 12 meses.

Mas, em tese, o planejamento estratégico pode ser feito a qualquer momento, especialmente em períodos de transição. Por exemplo, se sua empresa recebeu um grande investimento, se vai expandir ou fundir com outra empresa, é preciso se planejar.

E se você está pensando que apenas grandes empresas merecem um planejamento estratégico, não se engane. Empresas de qualquer mercado ou tamanho podem se beneficiar de um bom planejamento estratégico. Afinal, o planejamento define onde você quer chegar e como, e toda empresa precisa ter isso claro.

Como fazer o planejamento estratégico

Muitos gestores entram em pânico cada vez que o período de planejamento estratégico vai se aproximando. Mas não há motivo nenhum para desespero. Fazer o planejamento estratégico requer tempo e dedicação, mas não é nenhum bicho de sete cabeças. Além disso, ele vai facilitar muito o trabalho de todas as áreas da empresa nos meses seguintes, então é um esforço que vale muito a pena.

Confira o passo a passo de planejamento estratégico que propomos. É claro que você pode fazer as adaptações necessárias para a realidade da sua empresa mas, em geral, essas etapas fazem parte de um planejamento estratégico estruturado e eficiente:

Identidade organizacional

Esta é uma etapa que faz sentido se você está fazendo um planejamento estratégico pela primeira vez na empresa, se a empresa é nova ou se a identidade organizacional precisa ser revisitada por algum motivo. Mas não é necessário que você faça mudanças na identidade anualmente, por exemplo. Até porque não faz sentido nenhum construir uma nova identidade a cada ano.

A identidade organizacional é composta por aqueles três pilares básicos: missão, visão e valores. Se você tem dúvidas com esses três conceitos, fica tranquilo que a gente te explica:

  • Missão: é o que define a empresa. Sua razão de existir, seu propósito e sua essência.
  • Visão: é onde ela quer chegar, ou o que ela aspira a ser.
  • Valores: é o conjunto de comportamentos e princípios das pessoas que compões a empresa e buscam atingir a visão. Quer um exemplo prático? Não deixe de conferir os valores que movem o Opinion Box.

Análise da concorrência e stakeholders

É preciso saber quem são os seus concorrentes e o que eles estão fazendo. Nós já falamos aqui no blog que fazer benchmarking deve ser uma prática constante de qualquer empresa. Mas, no momento do planejamento estratégico, isso deve ser feito de forma mais aprofundada.

É hora de pesquisar se surgiram novos players no mercado e identificar os pontos fortes e fracos de cada um deles. Mais do que isso, é preciso identificar e analisar cada um dos seus stakeholders, ou seja, o grupo de pessoas e identidades que afetam ou são afetadas pelas atividades da sua empresa.

Fazem parte do grupo de stakeholders os clientes, colaboradores, fornecedores e órgãos públicos. Por exemplo, se um fornecedor seu não está entregando os produtos com a mesma qualidade ou está cobrando mais caro por um serviço, é hora de avaliar se não é o momento de mudar de fornecedor.

 Análise SWOT

Este é mais um item que não precisa ser feito toda vez que for feito o planejamento estratégico. Mas, de tempos em tempos, é bom reavaliar suas forças, fraquezas, oportunidades e ameaças. Afinal, elas mudam com o passar do tempo, e é importante estar atento para não ser pego de surpresa ou não deixar uma oportunidade passar batido.

Lições aprendidas

Ao fazer um planejamento, é muito importante revisitar o passado. Por isso, antes de traçar qualquer plano para o ano que vem, faça um balanço do que ainda não terminou.

Levante o que não foi cumprido e reavalie se esses itens serão priorizados no futuro próximo. Conte os acertos e erros e os aprendizados que vieram de cada um deles. Avalie as metas e indicadores para ver quais foram os pontos fortes e quais os pontos fracos.

As lições aprendidas são fundamentais para que você evolua, não cometa os mesmos erros e aprenda com a sua própria experiência.

Pesquisas de mercado decisivas para o planejamento estratégico

Antes de partir para o mapa estratégico propriamente dito, que vai traçar as ações futuras, ainda existe um item muito importante que deve ser feito como forma de analisar o passado e o presente.

Estamos falando das pesquisas de mercado. Pesquisas de satisfação e pesquisas de clima organizacional são fundamentais para que você tenha uma visão ainda mais completa do cenário. Ao realizar essas pesquisas, você vai ouvir os dois públicos fundamentais para o sucesso da sua empresa: seus clientes e seus colaboradores.

Com uma pesquisa de satisfação, você pode fechar o ano sabendo o que seus clientes pensam sobre sua marca, como ela está posicionada diante da concorrência e avaliar os erros e acertos do seu empreendimento. Isso tudo, com base na opinião de quem mais importa: seu próprio consumidor.

A pesquisa de clima organizacional com seus colaboradores tem função parecida, mas visando outro público. Use-a para medir o nível de satisfação dos funcionários com relação ao ambiente da empresa e a maneira como a equipe interage entre si. Os resultados de uma pesquisa de clima organizacional podem ajudar – e muito – a identificar os pontos fortes e as vulnerabilidades da gestão do seu negócio.

Planejamento estratégico: o que é e como fazer  

Mapa estratégico

Até agora você fez uma análise do cenário e já sabe onde sua empresa está. Para avançar, vamos definir para onde queremos ir os principais objetivos. Nessa etapa do planejamento, serão traçadas as principais estratégias de cada área e da empresa como um todo.

Agora, é hora de fazer o planejamento estratégico, ou seja, definir quais são as estratégias que farão você sair de onde está e caminhar até onde você quer chegar. 

Em geral, o mapa estratégico é composto de três etapas: objetivos, metas e indicadores. Ou seja, além de definir onde se quer chegar, você também irá estabelecer a forma de medir a efetividade dessas ações.

Recomendado para você:  Métricas e KPIs: como implantar uma gestão eficiente baseada na cultura de dados

Planejamento estratégico, tático e operacional: qual a diferença?

Após definir as estratégias da empresa para o ano seguinte, é preciso definir como isso será feito. Aqui, cada área vai estabelecer quais ações deverão ser realizadas para que cada objetivo estratégico seja cumprido.

Muita gente confunde a diferença entre planejamento estratégico, tático e operacional. Vamos explicar de forma simplificada:

  • Planejamento estratégico: são os objetivos gerais da empresa, que focam no longo prazo. Igual falamos até aqui, o planejamento estratégico normalmente é feito a cada 12 meses, traçando as estratégias gerais da empresa para o ano seguinte.
  • Planejamento tático: com foco no médio prazo, ele traça as visões por departamentos ou áreas. Ou seja, mostra, em linhas gerais, como cada uma das áreas da empresa vai fazer para atingir os objetivos estratégicos.
  • Planejamento operacional: traça as ações específicas, a curto prazo, de cada uma das áreas. Estabelece as tarefas rotineiras que vão de fato serem executadas para que o planejamento tático e estratégico sejam cumpridos.

Planejamento tático

O planejamento tático deve contemplar quais recursos serão necessários para que as ações sejam cumpridas. Não estamos falando apenas de orçamento, mas também de recursos humanos e tecnológicos.

Além disso, é importante que o planejamento tático apresente as responsabilidades e os prazos previstos para cada uma das ações. No caso das responsabilidades, não é necessário estipular o nome de quem irá executar cada uma das tarefas, mas sim qual a área ou gestor responsável.

Com relação aos prazos, um erro muito comum que as empresas cometem é colocar muitas ações concentradas no primeiro semestre e poucas no segundo. Acabam ocorrendo prazos impossíveis de cumprir logo no início do ano, que comprometem o planejamento como um todo e ainda desanimam o time.

Por isso, procure traçar uma linha do tempo possível de ser executada. Distribua uniformemente as ações ao longo dos doze meses. Coloque as ideias no papel. Trabalhe com rascunhos detalhados. Faça tudo o possível para que fique bem claro o caminho a ser percorrido.

Mesmo que estejamos falando de planejamento estratégico no geral, cada área tem seu próprio dever de casa. As metas de marketing precisam ser revistas pelo time da área, enquanto o time de vendas repassa seu próprio planejamento. Cada área precisa ter seus critérios, métricas e objetivos bem estabelecidos para que suas metas e planejamento estejam alinhados com a empresa como um todo.

Pesquisa de mercado e planejamento estratégico

Não esqueça de incluir no seu planejamento as pesquisas que você pretende realizar durante o ano seguinte. Pesquisas de satisfação, de hábitos de consumo e de imagem da marca são fundamentais. Caso seu planejamento esteja prevendo o lançamento de um novo produto, não deixe de fazer uma pesquisa de teste de produto.

E se você não sabe por onde começar a criar sua pesquisa, não se preocupe. É só falar com nosso time de especialistas de pesquisa de mercado.

Também poderá gostar de:

Liderança nas empresas: como a cultura de dados pode ajudar na gestão ... O papel da liderança nas empresas modernas vem sendo amplamente discutido mundo afora. Um bom líder deve reunir muitas c...
Planejamento de vendas: as pesquisas de mercado indispensáveis para o ... Quem trabalha com vendas, está cansado de saber quais os desafios que envolvem todo o trabalho do time de vendas. Não pr...
AUTOR
Pedro D'Angelo

Pedro D'Angelo

É jornalista, mas decidiu aventurar-se com Marketing. Aqui no Opinion Box, cuida de Projetos e Relacionamento com o Cliente. Hiperativo e curioso por natureza, fala sobre qualquer assunto. Por isso, achou uma boa ideia sentar para escrever sobre eles.

Daniela Schermann
Receba nossas novidades por e-mail