Benchmarking: como fazer o monitoramento da concorrência

Daniela Schermann
Benchmarking: como fazer o monitoramento da concorrência

Para que o seu negócio tenha sucesso, alguns elementos básicos não podem faltar. Qualidade, atendimento, comunicação e preços competitivos, por exemplo, são algumas características, dentre várias outras que determinam o sucesso de qualquer empreendimento. No entanto, para saber se você está acertando ou errando nas suas estratégias, e até mesmo descobrir se poderia estar fazendo algo melhor ou diferente, é fundamental procurar as melhores práticas do mercado. A isso se dá o nome de benchmarking.

Hoje eu quero te ensinar tudo sobre benchmarking: o que é, por que fazer, como fazer benchmarking e como a pesquisa de mercado pode te ajudar. Vamos lá?

Benchmarking: o que é?

O termo “benchmarking” vem da palavra benchmark, que significa “referência”. Sendo assim, fazer um benchmarking nada mais é do que buscar as melhores práticas realizadas pelas empresas do seu mercado como forma de referência.

Nesse sentido, o objetivo do benchmarking é utilizar as informações coletadas para encontrar oportunidades e melhorias, com o intuito de desenvolver melhorias nas estratégias do seu negócio. Essas informações são utilizadas como um ponto de referência. Além disso, o benchmarking pode ser feito em qualquer tipo de negócio.

Benchmark ou benchmarking?

Muitas pessoas costumam confundir esses dois conceitos, por serem bem similares e também por estarem relacionados entre si.

Nesse sentido, enquanto o benchmarking se caracteriza pelo ato de procurar por boas práticas de mercado em empresas concorrentes do mesmo segmento de atuação, o “benchmark” é denominado por essas empresas que são exemplos de referência para as outras.

Por que fazer benchmarking?

Fazer benchmarking é fundamental para qualquer empresa que quer se tornar excelente naquilo que faz. Nesse sentido, ao fazer o monitoramento da concorrência, você irá encontrar formas de adaptar as melhores práticas do mercado à sua realidade e aprimorar seus processos e práticas e melhorar o desempenho do seu negócio, afinal de contas, cada empresa possui suas particularidades.

Sendo assim, com um bom benchmarking, você pode encontrar ideias de melhorias para o seu produto ou serviço, descobrir formas de reduzir custos, ganhar eficiência operacional e aumentar a produtividade do seu negócio.

concorrência caso eles não condizem com a cultura, missão e valores do seu negócio.Além disso, outras vantagens do benchmarking são:

  • Identificar novas tendências de mercado;
  • Motivar a equipe a atingir bons resultados que outras empresas já conseguiram;
  • Inspirar em outros modelos de negócio que deram certo para traçar planos estratégicos;
  • E muito mais!

Pontos de atenção ao fazer benchmarking

É importante ressaltar que, ao fazer benchmarking, é preciso levar alguns pontos em consideração para tomar cuidado.

Afinal de contas, nem tudo são flores! Ou seja, comparar processos e estratégias é importante para o seu negócio, mas isso não significa que ele será viável para a sua realidade.

Sendo assim, o que deu certo para o seu concorrente pode ser o oposto na sua empresa. Nesse sentido, é importante avaliar e entender o que isso pode trazer de positivo para o seu negócio, para ser adaptado e aplicado de maneira estratégica.

E isso só é possível ao levar em consideração a realidade da sua empresa. Portanto, nada de replicar métodos da sua 

Quais os tipos de benchmarking?

Você sabia que existe mais de um tipo de benchmarking? É isso mesmo! Existem diferentes formas de fazer o monitoramento da concorrência ou até mesmo do seu próprio negócio. 

Nesse sentido, as cinco principais categorias de benchmarking existentes são: competitivo, funcional, interno, cooperativo e genérico. Confira a seguir como funciona cada um dos tipos de benchmarking.

Benchmarking competitivo

O benchmarking competitivo é o mais conhecido por nós. Ele é caracterizado pela busca pelos processos e estratégias de sucesso dos concorrentes diretos, que fazem parte do mesmo segmento de atuação.

Sendo assim, essa estratégia é focada somente na comparação dos processos e indicadores de desempenho de uma empresa com os seus principais concorrentes.

Benchmarking funcional

O benchmarking funcional é praticamente o oposto do competitivo e genérico.

Afinal de contas, para realizar esse tipo de benchmarking, não é preciso levar em consideração o segmento de mercado e nem os processos das empresas que serão comparadas.

Mas o que se leva em consideração, então? O benchmarking funcional costuma ser feito quando os critérios de comparação entre as empresas são os processos e estratégias mais amplos e generalizados.

Por exemplo, você pode utilizar essa categoria para comparar o atendimento ao cliente, identidade visual, entre outros aspectos relacionados.

Benchmarking interno

Como o próprio nome sugere, o benchmarking interno é caracterizado pelas comparações de processos dentro da própria empresa.

Nesse sentido, essa comparação é feita com os processos, demandas e estratégias feitas em diferentes áreas que fazem parte da mesma organização. 

Sendo assim, o benchmarking interno é mais funcional em grandes empresas, afinal de contas, são mais áreas a serem exploradas e, consequentemente, utilizadas para a comparação. Além disso, ele funciona como um primeiro passo para expandir as comparações.

Benchmarking cooperativo

O benchmarking cooperativo é uma forma diferenciada de fazer uma comparação de processos e estratégias entre empresas.

Nessa categoria, é feito um acordo entre diferentes empresas, que se tornam parceiras no intuito de trocarem informações e experiências relevantes a fim de melhorarem suas estratégias e torná-las mais assertivas, sem se prejudicarem com isso. 

Benchmarking genérico

Essa categoria é bem semelhante ao benchmarking competitivo. No entanto, a diferença entre as duas é que, ao invés de comparar um negócio com o concorrente direto, a comparação é feita pelos tipos de processos entre as empresas.

Além disso, nesse caso, a comparação pode ser feita com qualquer outra marca ou empresa, e não limitando-se somente aos concorrentes diretos, como no caso anterior do benchmarking competitivo.

Como fazer benchmarking?

Como você viu, existem diferentes formas de se fazer o monitoramento da concorrência. Nesse sentido, na hora de colocar em prática, é preciso saber quais pontos monitorar e quais empresas serão analisadas. O ideal é que o benchmarking se torne uma prática recorrente, que faça parte da cultura da empresa, e que seja desenvolvida por todos os departamentos.

Sendo assim, a equipe de marketing vai monitorar como os concorrentes estão divulgando seus produtos, sua presença digital em redes sociais, Google, sites e blogs, seu posicionamento e sua imagem de marca.

A equipe de vendas vai monitorar os canais de venda online e offline, o atendimento, os preços e promoções. A equipe de produto ficará responsável por analisar as melhorias nos produtos ou serviços dos concorrentes, as novidades no mercado e produtos similares que podem ser substitutos do seu, ou como complementares.

Passo a passo para um benchmarking

Como eu disse acima, o primeiro passo é estabelecer as empresas que você irá analisar. Normalmente, escolhe-se as duas ou três maiores empresas do seu mercado. Mas, além disso, pode ser interessante monitorar aquela empresa que está crescendo rapidamente ou aquela que tem um tamanho e uma área de atuação muito parecida com a sua.

Por exemplo, se o seu produto é vendido localmente, você pode monitorar a grande marca nacional, mas não deixe de acompanhar também o seu concorrente local.

Após escolher as empresas, deve-se escolher os pontos que farão parte da análise. Escolha de três a dez pontos prioritários, e não mais do que isso. Antes de começar a olhar para os concorrentes, é importante avaliar a si mesmo. Identifique seus pontos fortes e fracos nos itens avaliados, e só então comece o monitoramento da concorrência.

Agora, é hora de coletar dados e informações. Existem diferentes formas de encontrá-las. Se você quer analisar a presença digital de uma empresa, acesse todas as redes sociais e site. Veja como ela está posicionada nos mecanismos de busca e se há reclamações no Reclame Aqui. Avalie o posicionamento diante de reclamações e também a velocidade de resposta.

Além disso, testar o produto, visitar os pontos de venda e simular uma compra nos diferentes pontos de atendimento também trazem bons insights para o seu negócio.

E, claro, nunca se esqueça de ouvir os seus consumidores para saber o que eles pensam sobre a sua concorrência. Pesquisas de mercado são fundamentais para um benchmarking completo.

Por fim, você também pode fazer o benchmarking da concorrência em eventos, acompanhando as palestras e visitando os stands das empresas ou até mesmo indo presencialmente nas empresas concorrentes – isso mesmo!- muitas empresas abrem as portas para que outras conheçam os seus processos.

Como utilizar a pesquisa de mercado para fazer o monitoramento da concorrência?

A opinião dos consumidores é fundamental para entender exatamente como você se posiciona em relação à sua concorrência. Assim, se você está avaliando o produto de diferentes empresas, pergunte qual marca os entrevistados costumam comprar, e por que. Se está avaliando os sites da sua concorrência, inclua uma foto da home de cada site e peça para os entrevistados avaliarem cada um.

Se quer avaliar o atendimento, identifique quais entrevistados compraram na loja dos seus concorrentes e peça para que eles avaliem e descrevam a experiência de compra. O que eles gostaram? O que eles não gostaram? Há algo que os seus concorrentes não estão oferecendo ou fazendo que você pode entregar como um diferencial?

As pesquisas de satisfação também serão muito importantes para que você possa comparar os dados das perguntas citadas acima com os feedbacks dos seus consumidores.

Quais são os erros mais comuns ao fazer um benchmarking?

O principal erro ao fazer um benchmarking é acreditar que tudo o que a concorrência faz é bom. Nunca se esqueça que outras empresas também podem errar e ter ideias ruins. Além disso, e ainda mais importante, não é porque uma prática ou processo é bom para o seu concorrente que também trará melhores resultados para você.

É preciso analisar criticamente cada ponto pois, às vezes, ele não se adequa à sua realidade, ou precisa se adaptar de alguma forma. Afinal, benchmarking não é sinônimo de cópia.

Outro erro comum é realizar um benchmarking como objetivo final, e não como uma etapa de um processo maior. Após realizar o benchmarking, é preciso colocar em prática novas ideias, processos e soluções. E lembre-se sempre de definir métricas e indicadores para medir os resultados das ações.

Não se deve esquecer também que o foco na concorrência nunca pode ser maior do que o foco em você. Algumas empresas conhecem os seus concorrentes melhor do que conhecem seus próprios produtos, processos e equipes. O monitoramento das suas próprias ações deve ser sempre maior do que o monitoramento da concorrência. Tenha em mente que nem sempre a grama do vizinho é mais verde do que a sua.

Quer fazer uma análise da sua concorrência agora mesmo? Fale com a gente .

Ferramentas que podem ajudar a fazer benchmarking

Você já sabe que o mundo digital possui ferramentas para solucionar diversos problemas do dia a dia de uma empresa. Veja então algumas sugestões de ferramentas para quem quer fazer o monitoramento da concorrência:

Google Alerts

Ao cadastrar uma palavra ou expressão no Google Alerts, você receberá avisos gratuitos toda vez que essa palavra for mencionada na internet. Assim, se você cadastra os seus concorrentes (e a sua própria empresa, claro), recebe uma notificação cada vez que um deles aparece em uma matéria, post de blog ou artigo na internet.

O melhor é que o Google Alerts é totalmente gratuito.

Glassdoor

O Glassdoor é uma comunidade em que milhares de profissionais avaliam as empresas em que trabalham. Assim, é possível saber o que os colaboradores pensam sobre uma empresa e identificar as melhores práticas que sua concorrência está adotando internamente.

Opinion Box

Como já dissemos acima, o Opinion Box é uma ferramenta de pesquisa de mercado online. Nela, você pode criar seus questionários de pesquisa facilmente e enviar para uma lista de contatos ou para o nosso Painel de Respondentes. Esta é uma forma simples de fazer benchmarking. Você poderá saber o que os consumidores em geral pensam sobre os diferentes players do mercado.

SemRush

O SemRush é uma das ferramentas mais adoradas pelos profissionais de marketing digital. Isso porque ela oferece uma infinidade de informações sobre os domínios da internet e palavras-chave. Você pode monitorar seus concorrentes e as palavras-chave mais importantes sobre o seu mercado.

Com essa ferramenta, é possível investigar de perto como os seus concorrentes estão se posicionando digitalmente. Veja quais palavras-chave estão levando para as páginas dele e muitas outras informações extremamente relevantes.

Similar Web

Essa ferramenta oferece diversas métricas e informações de acesso sobre qualquer site ou aplicativo. Basta instalar o plugin do Similar Web e acessá-lo toda vez que quiser obter as informações de um site.

NPS Benchmarking 

Por fim, o Opinion Box traz com exclusividade o maior benchmarking de NPS do país, reafirmando nosso propósito de ajudar as empresas a tomar decisões melhores a partir de dados.

Nós apuramos o Net Promoter Score de quase 30 segmentos do mercado e de mais de 300 marcas muito conhecidas, consumidas e adoradas pelos brasileiros.

Acesse agora e confira o top 50 marcas mais bem avaliadas, os segmentos avaliados, o  ranking desses segmentos e muito mais!

Também poderá gostar de: