Pesquisa sobre o YouTube no Brasil: veja os principais insights sobre a maior plataforma de vídeos do mundo

Pesquisa sobre o YouTube no Brasil: veja os principais insights sobre a maior plataforma de vídeos do mundo

Não tem como pensar em vídeos na internet sem pensar no YouTube, certo? Considerando a importância da maior plataforma de vídeos do mundo que segue crescendo diariamente, reunimos aqui os principais insights da pesquisa sobre o YouTube feita pelo Opinion Box.

Seja para passar o tempo, para aprender algo novo, ouvir uma música, assistir um streaming de vídeo ou para se informar: atualmente, o conteúdo em formato de vídeo faz parte do cotidiano de grande parte das pessoas. Confira!

Pesquisa sobre o YouTube: comportamento dos usuários

Você é daquele tipo de pessoa que já deixa a aba do YouTube fixa no seu navegador? De acordo com a pesquisa, 86% dos usuários da plataforma acessam o YouTube pelo menos uma vez ao dia. Além disso, os usuários costumam passar muito tempo por lá: 44% dos respondentes passam pelo menos 5 horas por semana na plataforma.

O YouTube também está no topo das redes sociais mais utilizadas por muitas pessoas: 24% afirmaram que a plataforma é a mais acessada por eles, perdendo para o Instagram (39%) e o Facebook (30%)

Recomendado para você:  Pesquisa sobre o Instagram no Brasil: dados de comportamento dos usuários, hábitos e preferências no uso do Instagram

Em relação aos dispositivos de preferência para acessar o YouTube Brasil, o smartphone domina: 87% dos usuários assistem vídeos na plataforma pelos celulares. Além disso, 66% afirmaram que o dispositivo mais utilizado para assistir vídeos no YouTube é o smartphone.

Consumo de conteúdo

O YouTube foi fundado em 2005 com o objetivo de facilitar o upload de vídeos na internet, uma vez que naquele tempo existia uma grande dificuldade em compartilhar arquivos de vídeos devido ao tamanho e à velocidade da conexão, que era bem limitada.

Desde então, os formatos de conteúdos passaram por grandes mudanças. Atualmente, existe uma infinidade de assuntos e de formas de abordá-los na plataforma. Sendo assim, perguntamos aos usuários o que eles costumam fazer no YouTube.

De acordo com a pesquisa sobre o YouTube, 63% dos usuários acessam a plataforma para ouvir música, 55% utilizam para acessar tutoriais e 49% assistem vídeos de humor. O que os usuários menos costumam fazer no YouTube é divulgar suas marcas, produtos e serviços por meio de vídeos (11%). Além disso, somente 13% postam seus próprios vídeos.

O impacto da pandemia na frequência de acesso ao YouTube

Com a chegada da pandemia do coronavírus em março de 2020, o isolamento social impactou totalmente a vida das pessoas, afetando diretamente a rotina de todos. 

Sendo assim, com menos opções de lazer disponíveis, a frequência de acessos no YouTube disparou: de acordo com a pesquisa, 69% das pessoas passaram a usar mais a plataforma na pandemia.

O YouTube oferece uma infinidade de conteúdos, inclusive vídeos informativos sobre a pandemia ou até mesmo sobre o que fazer para passar o tempo no isolamento social. Apesar disso, como a plataforma é livre e qualquer pessoa pode publicar seus vídeos nela, é preciso atentar-se às fake news. 53% concordam que o YouTube tem muitas fake news.

Uma das alternativas de entretenimento que passaram a fazer muito sucesso desde o início da pandemia foram as lives de artistas: 63% dos entrevistados começaram a assistir lives na plataforma na pandemia.

Pesquisa sobre o Youtube: relação com marcas e influenciadores

Você já comprou ou considerou comprar algum produto por ter visto algum influenciador indicando o mesmo? Estamos vivendo a era da influência e não é atoa que a maior parte das grandes marcas investem pesado no marketing de influência

Segundo a pesquisa, 69% dos usuários estão inscritos em canais de influenciadores, YouTubers, criadores de conteúdo e/ou pessoas famosas. Além disso, metade dos entrevistados já compraram algum produto ou contrataram algum serviço indicado por alguém no YouTube: é o poder da influência!

Do mesmo modo, 61% dos usuários também são inscritos em canais de marcas ou empresas. Isso mostra a importância das empresas adotarem esse canal de comunicação com os consumidores.

Anúncios no YouTube

Algum tempo após ser comprado pela Google em 2006, o YouTube passou a exibir anúncios em seus vídeos. Porém, será que esses anúncios realmente fazem efeito ou costumam incomodar os usuários?

De acordo com a pesquisa, além de 58% dos entrevistados considerarem os anúncios irritantes, 61% afirmaram que os anúncios do YouTube não têm a ver com eles.

Além disso, 72% dos usuários pulam os anúncios do YouTube frequentemente ou sempre, e somente 8% nunca ou raramente deixam de vê-los. Será que vale a pena o investimento?

Pesquisa sobre o YouTube: ficha técnica

Para fazer a pesquisa, foram entrevistados 1080 homens e mulheres que são usuários do YouTube em todas as regiões do Brasil e fazem parte do Painel de Consumidores do Opinion Box em abril de 2021, com margem de erro de 2,8pp. 

Você também pode fazer uma pesquisa de mercado para o seu negócio! Basta entrar em contato com um de nossos especialistas para mais informações.

Caso você queira acessar o infográfico completo com todas as informações sobre a pesquisa, clique aqui.

Também poderá gostar de:

AUTOR

Danielle Salgado

Publicitária, fotógrafa e a louca dos gatos. Apaixonada por Marketing, adora descobrir coisas novas e falar sobre elas. Tem o sonho de viajar pelo mundo.