Amostra: como definir quantas entrevistas fazer em uma pesquisa de mercado

Daniela Schermann
Amostra: como definir quantas entrevistas fazer em uma pesquisa de mercado

“Quantas entrevistas eu preciso fazer?”. Esta é uma das dúvidas que mais recebemos de nossos clientes através da nossa página de contato ou por telefone. E acredite, definir o tamanho da amostra de uma pesquisa é bem mais simples do que você imagina.

Antes de mais nada, você precisa definir se vai fazer a sua pesquisa por email ou com o nosso Painel de Respondentes. Caso a sua pesquisa seja feita por email, quanto maior o seu mailing melhor, já que a taxa de retorno de uma pesquisa por email varia entre 1% e 5%.

Por outro lado, não adianta também comprar uma lista de emails ou colocar todos os seus contatos pessoais no mailing apenas para deixá-lo maior, pois a qualidade do mailing influencia muito a taxa de retorno. Nós já contamos aqui várias dicas para ter sucesso com as suas pesquisas por email, então não deixe de ler esse post antes de enviar a pesquisa para os seus contatos.

Agora, ao fazer uma pesquisa no Painel de Respondentes, você precisa definir o número de entrevistas que quer fazer, e isso, além de influenciar os resultados, influencia também o preço da sua pesquisa.

Para definir o número de entrevistas em uma pesquisa no Painel de Respondentes, nós indicamos uma técnica muito fácil, que consiste em responder duas perguntas:

Qual o tamanho da minha população?

População é um termo de pesquisa de mercado que representa o número total de indivíduos dentro do público-alvo da sua pesquisa. Então, se você quer fazer uma pesquisa com homens que moram em São Paulo, a sua população são todos os homens que moram em São Paulo.

Para saber o tamanho da população, existem diferentes fontes de informação que podem te ajudar. O site do IBGE, por exemplo, oferece diversos dados da população brasileira com divisões sócio-demográficas que poderão ajudá-lo a encontrar a população que você procura.

Recomendado para você:  Pesquisa de mercado de A a Z

O quanto minha pesquisa precisa ser exata?

Se você precisa que os resultados da sua pesquisa tenham 100% de precisão, é necessário entrevistar todos os indivíduos da sua população. É o que acontece nas pesquisas de censo, por exemplo, em que não há um resultado aproximado, mas o número exato de pessoas que moram em cada localidade, que tem ensino médio completo, que trabalham, que tem geladeira etc.

Na maioria dos casos, no entanto, não é necessário um resultado completamente preciso, e uma amostra que seja representativa da sua população já é suficiente para uma análise completa e detalhada.

Neste caso, seleciona-se aleatoriamente pessoas que tenham características em comum, que representem a sua população, e realiza-se a pesquisa apenas com este grupo aleatório. Por se tratar de uma amostra aleatória e que não representa o todo, sempre haverá uma margem de erro e, quanto menor a sua amostra, maior a sua margem de erro. Por isso, voltamos à pergunta inicial: o quanto sua pesquisa precisa ser exata?

Nós desenvolvemos uma ferramenta gratuita para você pode descobrir a sua amostra ideal e a margem de erro do seu projeto. E não se esqueça, a qualquer momento, você pode entrar em contato com o nosso time de especialistas.

Quer mais dicas para criar a sua pesquisa? Baixe agora mesmo o nosso guia de pesquisa de mercado. São muitas dicas e exemplos práticos para você ter sucesso nas suas pesquisas.

Também poderá gostar de:

Por que você realmente precisa fazer pesquisas de mercado No dia a dia de qualquer negócio, existem uma série de decisões cotidianas que pautam o sucesso de um empreendimento. A ...
O passo a passo para planejar sua pesquisa de mercado Se você acompanha o nosso blog, já sabe que fazer uma pesquisa de mercado online não é tão difícil quanto parece. Mas, a...
AUTOR
Daniela Schermann

Daniela Schermann

Jornalista e Líder de Marketing do Opinion Box, é especialista em Inbound Marketing e entende tudo sobre pesquisa e comportamento do consumidor. Prefere ser chamada só de Dani e está sempre aprendendo alguma coisa nova.

Daniela Schermann
Receba nossas novidades por e-mail