Pesquisa de mercado online: 8 dicas valiosas para fazer a sua!

Danielle Salgado
Pesquisa de mercado online: 8 dicas valiosas para fazer a sua!

A pesquisa de mercado online é essencial para definir estratégias importantes nas empresas. Afinal, através de dados consistentes, a tomada de decisão torna-se mais eficaz e assertiva.

Tempos atrás, as pesquisas de mercado eram pouco acessíveis, pois as coletas e entrevistas presenciais ou por telefone demandavam mais tempo e mão-de-obra, dificultando o processo e elevando os custos.

Com a transformação digital, a pesquisa de mercado online chegou para facilitar os processos e inovar! Confira a seguir o que é pesquisa de mercado online, as principais vantagens e 8 dicas incríveis para criar a pesquisa ideal.

Pesquisa de mercado online: o que é?

pesquisa de mercado online é um estudo feito com o objetivo de coletar dados e informações importantes, que servem para esclarecer intenções de compra, avaliar se um produto ou serviço está com um bom número de vendas ou se o público certo está sendo alcançado.

Graças à evolução tecnológica constante que vivemos, atualmente é possível realizar esse estudo através de dispositivos como computador, tablet ou smartphone.

Todas as informações coletadas contribuem para o processo de tomada de decisões na empresa.

Por que fazer uma pesquisa de mercado online?

Não importa se uma empresa é recente ou consolidada no mercado. Toda organização, independentemente do tamanho, tem o objetivo de obter sucesso a longo prazo e manter-se estável em um mundo de incertezas.

Para que isso aconteça, várias decisões e atitudes devem ser tomadas no dia a dia corporativo, visando atender e cumprir as melhores expectativas. Um passo importante para responder dúvidas acerca dessas tomadas de decisões é justamente a pesquisa de mercado.

Através dela, é possível mensurar dados concretos que poderão auxiliar em diversos pilares da empresa, como:

  •       Conhecer o tamanho do mercado para lançar um novo produto ou serviço;
  •       Detectar novos nichos de mercado;
  •       Entender os hábitos de compra do cliente;
  •       Apurar a satisfação do cliente para aplicar melhorias;
  •       Tomar decisões baseadas em informações e não em achismos.

Esses são apenas alguns dos diversos benefícios da pesquisa de mercado. Porém, para que ocorra tudo da melhor forma, é necessário recorrer aos métodos corretos para o preparo, execução e coleta de dados da pesquisa. 

Como fazer uma pesquisa de mercado online?

E na prática, como fazer a pesquisa? Separamos a seguir 8 dicas importantes em forma de passo-a-passo para fazer uma boa pesquisa de mercado online.

1. Definir o problema de pesquisa

Toda pesquisa surge de uma necessidade, um problema ou gargalo que precisa ser resolvido, ou de um objetivo a ser alcançado. Em razão disso, o primeiro passo é definir qual é esse problema de pesquisa.

Para facilitar essa definição, uma dica útil é transformar esse problema em uma pergunta, como “qual a chance do meu produto ser vendido para um público-alvo diferente?” ou “existe demanda no mercado para o meu negócio?”

Ao definir o problema de pesquisa, o planejamento e os critérios das perguntas ficarão mais fáceis de serem feitos.

É muito importante também que haja um documento em formato de briefing para registrar não somente o problema de pesquisa, mas todas as informações importantes sobre o projeto. Para lhe auxiliar, nós criamos um modelo de briefing de pesquisa de mercado.

2. Selecionar o perfil do público-alvo

No segundo momento, é a hora de decidir qual o público que fará a pesquisa. É preciso ter em mente que, para obter as respostas certas, é preciso perguntar para as pessoas certas.

Não faria sentido medir o nível de satisfação de uma pessoa que nunca utilizou o seu serviço, assim como também não seria viável perguntar para uma pessoa pertencente à classe A se ela consome um produto que é voltado para a classe D.

Sendo assim, é necessário definir corretamente o perfil dos respondentes da pesquisa de mercado. Mas, como fazer essa definição?

Para isso, primeiramente é importante alinhar se é melhor falar com clientes atuais ou consumidores potenciais. Após isso, determine as características em comum do público (sexo, faixa etária, classe social, escolaridade, etc.).

Tenha em mente também se é necessário entrevistar pessoas que possuam algum hábito (ex.: pessoas que só compram em e-commerce se possuírem referências), se compram ou têm determinado produto ou se fazem parte de algum grupo específico de pessoas.

Não se esqueça de determinar quantas pessoas irão responder ao questionário e o quão exata a pesquisa deve ser.

Outra ação que poderá auxiliar na escolha do público ideal a responder à pesquisa é a criação da buyer persona, que é a representação do cliente ideal, como um indivíduo, que possivelmente consumirá o seu produto ou serviço. Esse método é mais eficaz caso a pesquisa seja feita com o objetivo de medir a satisfação ou identificar dores para criar soluções.

3. Determinar o tipo de pesquisa que será feito

Os tipos de pesquisa variam de acordo com os objetivos da pesquisa e perfis do público-alvo ou persona definidos. Cada um deles tem o objetivo de captar dados específicos e válidos para empresas diferentes com objetivos diferentes.

Por exemplo, se o problema de pesquisa é “Existe mercado para o meu negócio?”, a pesquisa de mercado para novos negócios é a mais recomendada, pois através dela será possível validar a ideia do negócio.

Alguns dos principais tipos de pesquisa de mercado são:

Recomendado para você:  Tipos de pesquisa de mercado: quais você deve realizar no seu negócio?

4. Analisar o mercado e a concorrência

Ao fazer uma pesquisa de mercado, é importante conhecer os principais competidores da empresa e a relação dos clientes com ela.

Dependendo do tipo de pesquisa que será feita, é interessante entender o que os seus consumidores têm a dizer sobre a concorrência. Perguntar se a pessoa consome a marca concorrente e as principais qualidades e defeitos da mesma é uma boa dica para complementar essa análise e ajudar na tomada de decisões.

Analisar os concorrentes é muito importante dentro da pesquisa de mercado, pois, se eles estão consolidados, é sinal de que estão fazendo escolhas e tomando decisões corretas. Não há nada de errado em estudar quais são essas ações que estão sendo tomadas, com o objetivo de fazer sempre de forma mais eficiente!

Existem também algumas ferramentas online gratuitas ou pagas que podem auxiliar nesse processo, complementando a análise feita na pesquisa. Confira algumas:

  • Semrush

É uma das plataformas mais completas de SEO e SEM do mercado. Além disso, através do Semrush, é possível explorar e analisar a concorrência, por meio de pesquisa de domínios e palavras-chave. A ferramenta é paga e pode ser testada gratuitamente por 7 dias.

  • Buzzsumo

O Buzzsumo faz um rastreamento acerca dos assuntos mais populares da web. É possível filtrar, por exemplo, os assuntos mais compartilhados pela concorrência, podendo assim compreender quais estratégias estão dando para ela.

 Através desta ferramenta, é possível também gerar um relatório comparativo de desempenho do conteúdo com a concorrência. Ela é paga e possui 30 dias de teste gratuito.

  • Google Alerts

É uma ferramenta gratuita que detecta conteúdos relacionados a termos, frases ou palavras-chave. Sendo assim, através do Google Alerts, é possível rastrear e monitorar conteúdos relevantes publicados pela concorrência.

5. Selecionar uma plataforma de pesquisa de mercado online eficiente

Não adianta elaborar a pesquisa de mercado online perfeita se ela não for feita através de uma plataforma confiável e eficiente.

Para isso, é preciso atentar-se a alguns pontos, como carteira de clientes, perfil do painel de consumidores, processos de auditoria, tempo de coleta e cronograma da pesquisa, suporte e atendimento.

Através da Plataforma de Pesquisa do Opinion Box, é possível contratar as pesquisas dentro de perfis, filtrando os entrevistados por sexo, idade, classe social e local onde moram, além de algumas segmentações mais específicas de comportamento e posse de bens.

Além disso, todos os cadastros são feitos via CPF, que são checados na Receita Federal. As informações cadastrais são confirmadas e atualizadas ao longo das pesquisas.

6. Elaborar o questionário

De todas as etapas, essa é a que requer mais atenção.

As perguntas do questionário devem ser feitas da forma mais clara e objetiva possível para a maior compreensão dos entrevistados. As alternativas de respostas devem cobrir todos os cenários, para que o respondente não sinta que faltou algo que demonstrasse sua real opinião.

Para que a pesquisa seja mais atrativa para quem irá respondê-la, uma dica interessante é incrementar o formulário com imagens, vídeos e textos entre as perguntas.

Ao finalizar a elaboração do questionário, é imprescindível que ele seja testado várias vezes e passe por uma revisão. Responda às perguntas, peça para um amigo responder e fazer uma verificação da ortografia e das perguntas, pois algum erro pode passar despercebidamente.

7. Coletar as entrevistas

Agora é a hora de definir como o questionário elaborado e testado chegará até o público-alvo definido. Existem duas formas de coleta, que são por conta própria ou contratando um painel de respondentes. Saiba mais sobre cada uma delas as seguir.

Coletar os dados por conta própria

Alguns tipos de pesquisa, como a pesquisa de satisfação, podem ser feitos com entrevistados conhecidos. A coleta pode ser feita em canais como e-mail enviado individualmente para cada contato, por um link compartilhável em redes sociais ou divulgando-a no próprio site ou blog da empresa.

Nesse tipo de coleta, é possível conseguir as respostas de forma gratuita, porém é preciso tomar cuidado. Nem todo tipo de pesquisa é possível ser feito dessa forma, uma vez que em pesquisas como teste de um novo produto, o ideal é optar por realizá-la com entrevistados neutros.

Contratar um painel de respondentes

Em determinados tipos de pesquisa, nos quais são necessários resultados imparciais e representativos da sociedade ou de nichos específicos, a opção mais viável é a contratação de um painel de respondentes.

Com a exceção de determinados tipos de pesquisa, como a pesquisa de satisfação, que deve ser feita necessariamente com os clientes, essa é a forma mais assertiva de fazer uma pesquisa. Assim, você garantirá resultados mais rápidos, de forma mais confiável e com um valor acessível.

Conheça o Painel de Consumidores do Opinion Box e veja como podemos ajudar.

8. Analisar os resultados

Uma vez que a pesquisa foi feita, é hora de analisar os resultados.

Primeiramente, é importante organizar os dados coletados através de uma planilha, por exemplo. Após isso, deve-se relembrar dos objetivos de pesquisa e começar a analisar os resultados gerais, anotando todos os números que chamarem a atenção.  Em uma pesquisa de satisfação, por exemplo, é interessante focar nos melhores e piores resultados.

Após essa análise geral, deve-se fazer uma análise dos dados de forma agrupada, verificando o perfil que respondeu a pesquisa e destacando as diferenças.

Por fim, reúna todos os dados e insights através de gráficos e apresente-os para sua equipe, superiores ou clientes. É importante separar os dados mais relevantes e destacá-los para criar uma apresentação incrível!

Conheça as soluções do Opinion Box

Que tal começar a fazer a sua pesquisa de mercado agora? Através da nossa Plataforma de Pesquisa e das Pesquisas Customizadas, você poderá criar uma pesquisa de mercado online ideal para o seu negócio. Tudo isso de forma segura e acessível. Quer saber mais? Clique aqui e descubra a solução ideal para você.

Também poderá gostar de:

AUTOR
Danielle Salgado

Danielle Salgado

Publicitária, fotógrafa e a louca dos gatos. Apaixonada por Marketing, adora descobrir coisas novas e falar sobre elas. Tem o sonho de viajar pelo mundo.