Por que seus entrevistados estão abandonando seu questionário de pesquisa

Pedro D'Angelo
Por que seus entrevistados estão abandonando seu questionário de pesquisa

Você já sabe que hoje em dia você mesmo pode fazer e enviar um questionário de pesquisa sozinho e sem se levantar da cadeira. Mas só criar as perguntas e enviar para seus contatos ou para um painel de respondentes não basta. É preciso garantir que seu respondente não vá abandonar o questionário pela metade.

Por isso, na hora de criar um questionário de pesquisa, é preciso atenção. A tarefa de criar sua própria pesquisa está cada vez mais simples, mas um bom questionário requer uma série de cuidados.

Mas tudo bem, não precisa se desesperar por causa disso. Vamos ver os principais erros a ser evitados para que o respondente não abandone a pesquisa que você enviou para ele.

1. Questionário com perguntas mal redigidas

Se coloque no lugar do respondente de uma pesquisa por um momento. Você recebe uma pesquisa por e-mail, se dispõe a responder as perguntas e dedica um tempo do seu dia para isso. Logo quando começa a tarefa, lê a primeira pergunta e não entende o que ela quer saber de você. O enunciado não está claro e você não entende o que deve responder. Esse não é o tipo de confusão que te desanimaria? Pois é.

O enunciado da pergunta não pode, portanto, ser ambíguo ou cheio de rodeios. Muitos termos técnicos que podem ser desconhecidos pelo usuário também merecem um alerta. Clareza, objetividade e uma boa estrutura frasal são a combinação que garante o sucesso de uma pergunta bem escrita. Leia suas perguntas com calma e várias vezes. Imagine o que as pessoas responderiam e avalie se tudo faz sentido.

2. Erros de ortografia e gramática

Erros de português podem matar um questionário de pesquisa. Erros de ortografia, gramática e até mesmo erros simples de digitação podem diminuir a credibilidade da sua pesquisa. Pode até acontecer de passar algum erro, é claro, mas se isso for frequente o respondente pode abandonar o questionário no meio do caminho sem pensar duas vezes.

Esse provavelmente é o erro mais fácil de ser evitado. É só revisar o questionário – quantas vezes achar necessário e com muita atenção. Para facilitar a tarefa, peça ajuda para outra pessoa. Um segundo olhar é sempre bom para evitar que os erros passem despercebidos.

Recomendado para você: Como fazer um teste de questionário infalível

3. Alternativas que não respondem à pergunta

A pergunta está feita, com um enunciado claro e de fácil entendimento. Agora é hora de ler as alternativas da questão. O que o respondente precisa, nesse momento, é de alternativas que atendam a todas as possibilidades que aquela pergunta pode oferecer.

O importante, nesse caso, é que as alternativas cubram todos os cenários, para que os respondentes não fiquem “sem saída”. Pensando em um exemplo, imagine uma pesquisa de hábitos de consumo. No questionário, você faz uma pergunta sobre compras pela internet, querendo saber quais os sites mais utilizados pelos consumidores. Nesse caso, você tem que oferecer todas as possibilidades de canais que o cliente poderia usar. Além disso, precisa se certificar de oferecer uma opção para quem não se identifica com nenhuma das alternativas. Uma estratégia para cobrir cenários nesse tipo de pergunta é utilizar as opções de resposta “Nenhum” e “Outros”.

4. Questionário longo demais

Ao criar um questionário de pesquisa, é preciso avaliar a necessidade e a relevância das perguntas que você quer fazer. Confira se realmente vale a pena que cada uma delas entre no seu questionário. Um questionário com perguntas demais pode levar à falta de atenção e ao abandono da pesquisa.

Responda você mesmo e peça ajuda a outras pessoas para testar o questionário. Se ele estiver muito longo, vocês provavelmente irão se cansar da tarefa. Conte sempre com pessoas que não participaram da elaboração do questionário. Uma opinião mais neutra ajuda muito a identificar esse tipo de erro.

Recomendado para você: [INFOGRÁFICO] Como criar um questionário de pesquisa infalível

5. Muitas perguntas abertas

As perguntas abertas dão ao entrevistado a liberdade para explicar, descrever e opinar, de forma mais ampla e pessoal do que com respostas pré-definidas pelo questionário. Porém, utilizar perguntas abertas exige alguns cuidados.

Um questionário com muitas perguntas abertas obrigatórias pode desanimar usuários, principalmente os que acessam a pesquisa via smartphones. Muitas vezes, uma pergunta aberta pode ser substituída por uma de múltipla escolha, em que você mesmo pode propor todas as opções de resposta possíveis. Para saber mais sobre as perguntas abertas e como utilizá-las de forma correta, escrevemos esse post para você.

6. Muitas perguntas por página

Pode parecer besteira, mas a divisão das perguntas por página pode interferir na taxa de abandono da sua pesquisa. Em pesquisas online, a paginação facilita muito a visualização para quem for responder a pesquisa. Isso acontece, principalmente, porque devemos considerar a plataforma pela qual o usuário vai responder a pesquisa. Muitas perguntas em uma mesma página dificultam bastante, por exemplo, a vida de quem vai responder via smartphone ou tablete.

Pense sempre em como deixar seu questionário organizado para o entrevistado e com uma navegação mais fácil. Não existe uma regra para isso, mas recomendamos que cada página tenha, no máximo, 3 ou 4 perguntas.

Esses são os principais motivos que podem levar um usuário a abandonar seu questionário de pesquisa. Alguns erros podem passar e não se preocupe, isso acontece.

As pesquisas de mercado também são regidas pela máxima de que a prática leva à perfeição. Ah, e se precisar de ajuda para chegar até essa perfeição, já sabe. E só falar com a gente. Temos um time de especialistas pronto para te ajudar no que precisar.

Também poderá gostar de:

Amostra: como definir quantas entrevistas fazer em uma pesquisa de mer... "Quantas entrevistas eu preciso fazer?". Esta é uma das dúvidas que mais recebemos de nossos clientes através da nossa p...
Margem de erro: tudo o que você precisa saber sobre esse índice de pes... Entenda de uma vez por todas o que é margem de erro, como calculá-la e porque ela é tão importante para o sucesso da sua...
AUTOR
Pedro D'Angelo

Pedro D'Angelo

É jornalista, mas decidiu aventurar-se com Marketing. Aqui no Opinion Box, cuida de Projetos e Relacionamento com o Cliente. Hiperativo e curioso por natureza, fala sobre qualquer assunto. Por isso, achou uma boa ideia sentar para escrever sobre eles.

Daniela Schermann
Receba nossas novidades por e-mail