Mobile Time e Opinion Box pesquisam: M-commerce tem salto de crescimento no Brasil

Pedro D'Angelo
Mobile Time e Opinion Box pesquisam: M commerce tem salto de crescimento no Brasil

Seja para conhecer pessoas novas e marcar encontros no Tinder, para chamar o táxi de qualquer lugar ou para realizar qualquer outra tarefa cotidiana, já está claro que o smartphone sempre estará lá para facilitar. Os celulares, cada vez mais oferecendo uma praticidade incomparável, se tornaram um canal essencial na jornada de compra do cliente moderno.

E é claro e natural que a compra dos mais variados produtos também passaria a acontecer via mobile. Por isso, nos juntamos ao Mobile Time para pesquisar e entender quem já está fazendo compras de produtos através do smartphone, o que o consumidor está procurando mais e quais os seus apps preferidos.

Mais uma vez, lançamos o Panorama Mobile Time/Opinion Box: Comércio móvel no Brasil, estudo que já foi realizado no ano passado e busca entender os hábitos do consumidor mobile. Ao longo do mês de janeiro, a pesquisa ouviu 1.920 internautas brasileiros que possuem smartphones, respeitando proporções de gênero, idade, faixa de renda e distribuição geográfica desse grupo. A margem de erro é de 2.3 pontos percentuais e o grau de confiança é de 95%.

E se na edição anterior da pesquisa, lançada em setembro do ano passado, 41% dos entrevistados já havia comprado produtos físicos através de apps para smartphones, o índice agora deu um salto. Já somam 61,8% os consumidores que estão utilizando de aplicativos para comprar roupas, comida, cosméticos e muitas outras mercadorias.

O porquê do interesse crescente do consumidor pelo mobile é bem claro: comodidade. Antes de pensar em preços e promoções, 62,2% daqueles que já compraram pelo smartphone apontaram a comodidade como principal fator que os levaram a experimentar o comércio móvel. Outros 17% disseram que “é mais rápido” comprar pelo smartphone e 14,7%, que “é mais prático”. Apenas 4,7% são motivados a comprar via mobile por causa de promoções.

O que comprar e onde comprar

Os produtos que o brasileiro vem comprando no comércio móvel são os mais diversos. Dos 1.187 respondentes que disseram já ter comprado pelo celular, 44,4% compraram roupas, 38,7% optaram por eletroeletrônicos, 32,2% por livros e 25,9% já compraram eletrodomésticos. Seguindo o ranking de produtos mais procurados no mobile, ainda estão acessórios de moda (25,6%), cosméticos e produtos de higiene pessoal (24,1%) refeições (20,7%) e muito mais.

Já os locais preferidos não surpreendem, com grandes lojas e apps famosos no topo da lista. Americanas.com, Mercadolivre, AliExpress, Submarino e iFood são os cinco apps ou sites mais citados pelos consumidores móveis brasileiros. Em relação à edição anterior da pesquisa cabe destacar a Americanas.com, que subiu do quarto para o primeiro lugar, e o Submarino, que não figurava entre os cinco principais e agora está na terceira posição do ranking de preferidos.

Recomendado para você: Opinion Box Pesquisa: Brasileiros e o uso de smartphones – Será que estamos exagerando?

Rejeição do m-commerce

Por mais que o comércio móvel esteja crescendo e conquistando mais adeptos, ainda existe certa rejeição a essa modalidade de compra. Para os 743 entrevistados que disseram nunca ter encomendado uma mercadoria pelo smartphone, perguntamos que motivos os impediram de entrar no mundo do comércio pelos smartphones.

O principal motivo que ainda inibe esses consumidores é a desconfiança, apontada por 26,5% dos entrevistados. A preferência por provar ou ver o produto antes de comprar foi a principal razão de outros 16,3% e o fato de não possuir um cartão de crédito, o motivo de 15,6% dos consumidores.

Além desses motivos, houve quem indicou como impedimento a falta de praticidade (12%) e, ainda, 8,9% dos consumidores disse que não sabia que era possível comprar pelo smartphone. Esses fatores podem, inclusive, ser encarados como oportunidade para quem quer investir nas plataformas móveis para vender seus produtos.

Relatório completo

Quer saber mais ainda sobre o m-commerce no brasil? Não deixe de baixar o relatório completo da pesquisa, neste link. Fazendo o download você pode conferir muitos outros dados, gráficos, tabelas e comparações com a última edição da pesquisa, tudo isso com a análise de Fernando Paiva, editor do Mobile Time, jornalista com 16 anos de experiência na cobertura do setor de telecomunicações.

Também poderá gostar de:

AUTOR
Pedro D'Angelo

Pedro D'Angelo

É jornalista, mas decidiu aventurar-se com Marketing. Hiperativo e curioso por natureza, fala sobre qualquer assunto. Por isso, achou uma boa ideia sentar para escrever sobre eles.