Opinion Box e Mobile Time pesquisam: uso de apps no Brasil

Daniela Schermann
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
Opinion Box e Mobile Time pesquisam: uso de apps no Brasil

Pela quarta vez, o Opinion Box e o Mobile Time se uniram para realizar uma pesquisa sobre o uso de apps no Brasil. Dessa vez, entrevistamos 1.963 brasileiros que acessam a Internet e que possuem smartphone. Foram respeitadas as proporções de gênero, faixa etária, renda familiar mensal e distribuição geográfica desse grupo. A pesquisa tem margem de erro de 2,2 pontos percentuais e grau de confiança de 95%. Confira os principais destaque da pesquisa:

Apps no Brasil: Uber estreia no ranking

A cada edição da pesquisa, realizamos um ranking com os 20 apps mais presentes na primeira tela dos smartphones brasileiros. Pela primeira vez o aplicativo de chamada de corridas entrou no ranking, ocupando o sétimo lugar. O Uber está presente na primeira tela de 9% dos smartphones do país.
A pesquisa revela também que o app é mais facilmente encontrado nos telefones de pessoas mais velhas e das classes mais altas. Entre aqueles que tem mais de 50 anos, 16% disseram que possuem o Uber na primeira tela. Já entre os que têm de 16 a 29 anos, apenas 8% destacaram o app. Nas classes D e E, 1 em cada 20 possuem o aplicativo, enquanto nas classes A e B esse número aumenta para 11%.

Download de apps e M-Commerce

Nos Estados Unidos e na Europa, os desenvolvedores de aplicativos encontram-se preocupados com uma desaceleração das lojas de downloads de apps. Aqui no Brasil, no entanto, essa tendência ainda não chegou. 81% dos brasileiros baixaram pelo menos um aplicativo nos últimos 30 dias. Por outro lado, apenas 15% já pagaram pelo menos uma vez por um aplicativo.
Ainda que os brasileiros não tenham o costume de comprar aplicativos, muitos já realizam compras através dos apps: de acordo com a pesquisa, 48% já fizeram compras de bens virtuais dentro do app. Para você poder comparar, na primeira edição da pesquisa, em abril de 2015, 39% havia realizado compras dentro de apps.

Assinatura de serviços de entretenimento móvel

Em pouco mais de seis meses, o número de assinatura de serviços de entretenimento móvel no Brasil mais do que dobrou, passando de 18% em abril deste ano para 40% em novembro.
O serviço de assinatura líder absoluto é o Netflix, presente em 59% dos smartphones. A pesquisa inclusive foi destaque no caderno Ilustrada, da Folha de SP, com uma entrevista com o vice-presidente de séries internacionais da Netflix.

Sobre a pesquisa

Além desses dados sobre o uso de apps no Brasil, a pesquisa completa também inclui:

  • Ranking completo dos 20 apps mais presentes na home screen do smartphone do brasileiro
  • Ranking dos apps favoritos dos brasileiros
  • Ranking dos games móveis mais jogados pelos brasileiros atualmente
  • Ranking dos serviços de entretenimento móvel pago mais populares no Brasil
  • Ranking dos antivírus móveis mais populares no Brasil
  • Ranking dos serviços de backup móvel mais populares no Brasil
  • Análise sobre o uso de apps no Brasil assinada por Fernando Paiva, editor do Mobile Time

Conheça as pesquisas que realizamos em parceria com a Mobile Time sobre o mercado de conteúdos móveis.

Opinion Box e Mobile Time pesquisam: uso de apps no BrasilOpinion Box e Mobile Time pesquisam: uso de apps no BrasilOpinion Box e Mobile Time pesquisam: uso de apps no BrasilOpinion Box e Mobile Time pesquisam: uso de apps no Brasil

Também poderá gostar de:

Opinion Box e Mobile Time pesquisam: 7 em cada 10 realizaram compras p... Nos dias 04 e 05 de outubro, São Paulo recebeu a nona edição do Fórum Mobile+. O Opinion Box marcou presença no evento m...
Mobile Time e Opinion Box pesquisam: existe espaço para as empresas ut... A terceira edição da pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box: Mensageria no Brasil traz novidades e dados interessante...
AUTOR
Daniela Schermann

Daniela Schermann

Jornalista e Líder de Marketing do Opinion Box, é especialista em Inbound Marketing e entende tudo sobre pesquisa e comportamento do consumidor. Prefere ser chamada só de Dani e está sempre aprendendo alguma coisa nova.

Daniela Schermann
Receba nossas novidades por e-mail