Pesquisa sobre segurança online: hábitos e comportamento do consumidor brasileiro

Pedro D'Angelo
Pesquisa sobre segurança online: hábitos e comportamento do consumidor brasileiro

Sempre que falamos de compras pela internet e mesmo da navegação na rede como um todo, a segurança online sempre entra na pauta. Como estamos cada vez mais conectados e resolvendo tudo pela internet, a preocupação em manter nossos dados seguros é natural.

Mas na prática, no dia a dia, como o brasileiro lida com a questão da segurança online? Como protege seus dados, especialmente na hora de fazer compras e transações financeiras?

É disso que vamos falar agora.

Para investigar o comportamento do consumidor brasileiro e seus hábitos relacionados à segurança online, nos unimos ao PayPal para mais uma pesquisa exclusiva. Os principais resultados e insights você vai conferir agora:

Pesquisa sobre segurança online: o que descobrimos?

O primeiro dado que destacamos nos resultados da pesquisa é alarmante. 61% dos brasileiros já clicaram em links recebidos por e-mail sem saber se eram seguros. Essa prática é uma das mais perigosas para os internautas, considerada o ponto de partida para o chamado phishing (fraude online cujo objetivo é roubar informações pessoais e financeiras dos internautas).

O dado de cliques em links suspeitos contrasta com outra descoberta da pesquisa, porém. 94% dos pesquisados se dizem preocupados com a proteção de seus dados.

O estudo descobriu também que a preocupação com proteção de dados vem aumentando. 57% dos pesquisados afirmaram que a preocupação com as formas de proteção de seus dados pessoais e financeiros aumentou no último ano. 

Para o futuro, a tendência é continuar com a preocupação crescente. 66% dos entrevistados disseram que sua preocupação com proteção de dados aumentará. Para 29%, permanecerá estável; e 5% alegaram que se preocuparão menos com o assunto.

Essa preocupação com segurança online costuma resultar, conforme descobrimos, de experiências ruins no passado. 65% dos entrevistados disseram ter pelo menos um familiar ou amigo vítima de golpe por telefone; 61% afirmaram já ter clicado em links recebidos por e-mail sem se certificar de que eram seguros; e 60% fizeram o mesmo em links recebidos por WhatsApp.

Boas práticas de segurança online

Já que estamos falando sobre segurança online, a pesquisa também quis abordar as melhores práticas para se proteger no mundo virtual.

Algumas práticas básicas de segurança online são facilmente cumpridas pelos internautas entrevistados.

90% dizem ter senha em sua rede wi-fi em casa. Em relação a métodos de segurança mais fortes, 72% garantem não usar senhas fáceis em suas redes wi-fi (como datas de aniversário, números sequenciais etc.). Enquanto isso, 43% trocam a senha de tempos em tempos; e 69% verificam se o site da loja online tem o símbolo de segurança (aquele cadeado à esquerda do https).

Na hora da navegação, descobrimos 55% não verificam se o site que estão acessando é http ou https; 47% não têm firewall instalado e habilitado no computador; e 48% não verificam a URL de destino de um link antes de clicar nele.

Categorias de compras e formas de pagamento

Para entrar mais fundo no comportamento do consumidor e na relação com segurança online, exploramos também como o brasileiro faz compras e paga por elas na internet.

Focando nas categorias que os internautas consideram mais seguras, em primeiro lugar ficou “Serviços”, com 60%, que inclui apps de mobilidade urbana, delivery de comida, recarga de bilhete único etc.

Outro destaque que faz o brasileiro se preocupar menos com a segurança é a categoria “Compras de produtos de menor valor”, como livros e acessórios para smartphones, foi escolhida por 53%; “Compra de roupas e acessórios” também é uma categoria segura para 52%; e “Compra de ingressos”, para 48%, que inclui cinema, eventos, shows etc.

Já a forma de pagamento considerada mais segura foi o boleto bancário e o cartão de crédito, empatados para 31% dos entrevistados. Do outro lado, dentre os meios de pagamento menos seguros, estão as transferências bancárias, com 26%; o depósito bancário, com 23%.

Mais destaques da pesquisa

Além dos dados que já discutimos, veja mais alguns destaques do panorama sobre a segurança online do internauta brasileiro:

  • 48% já tiveram dados roubados por vírus de computador/laptop;
  • 39% fizeram compras online em sites sobre os quais tinham dúvidas em relação à segurança;
  • 24% já tiveram cartões de débito e/ou crédito clonados pelo menos uma vez;
  • 35% dos entrevistados usam carteiras digitais, como o PayPal, para fazer compras;
  • 27% consideram as compras em sites internacionais como as menos seguras.

Ficha técnica da pesquisa sobre segurança online

A pesquisa encomendada pelo PayPal foi realizada ao longo do mês de março de 2019 com o Painel de Consumidores do Opinion Box. 

Foram entrevistados 2036 internautas brasileiros, de todas as regiões do país, em todas as faixas etárias, de renda familiar e ambos os sexos. A distribuição da amostra da pesquisa respeita o universo de internautas brasileiros.

Para conhecer outros resultados de pesquisa sobre o comportamento do consumidor e temas variados, visite nossa página de resultados de pesquisa exclusivos.

Quer investigar você também um segmento, mercado, público ou seus concorrentes? Conhecer os hábitos dos brasileiros e o comportamento do consumidor? Então faça sua própria pesquisa de mercado online! Fazer uma pesquisa está cada vez mais fácil, rápido e barato.

Para desenvolver seus próprios estudos, sozinho ou com a ajuda de especialistas, fale com o Opinion Box. Estamos aqui para te ajudar a encontrar as estratégias mais eficientes para lidar com seu público e conquistar mais consumidores para o seu negócio.

Também poderá gostar de:

Apps de mobilidade: pesquisa sobre os aplicativos de transporte no Bra... Conheça os hábitos de compra e consumo, a satisfação média, o NPS e o vínculo emocional dos consumidores com os principa...
Email marketing: pesquisa inédita sobre as melhores práticas A sua empresa utiliza email marketing para divulgar promoções, serviços e produtos? Ao enviar campanhas por email, você ...
AUTOR
Pedro D'Angelo

Pedro D'Angelo

É jornalista, mas decidiu aventurar-se com Marketing. Hiperativo e curioso por natureza, fala sobre qualquer assunto. Por isso, achou uma boa ideia sentar para escrever sobre eles.