Internet das coisas: entenda o investimento em IoT no Brasil

Tiago Magnus (Autor convidado)
Internet das coisas: entenda o investimento em IoT no Brasil

Um marco na economia nacional. Essa talvez seja a melhor forma de definir o que será a IoT dentro de alguns anos no Brasil.

Segundo o estudo “Internet das Coisas: um plano de ação para o Brasil”, focado no diagnóstico e na proposição de um plano de ação estratégica para o País, a IoT é uma oportunidade única e, dentro de 7 anos, os benefícios gerados por este boom atingirão 10% do PIB nacional.

Em outras palavras, movimentará cerca de R$ 200 bilhões por ano em 2025.

Mas não precisamos ir muito longe para perceber que este mercado está em constante expansão, com crescimento significativo mesmo atualmente. Em janeiro passado, a IDC Brasil apresentou uma previsão de investimento de mais de R$ 8 bilhões para o setor somente em 2018.

O interessante é que, quando se fala em Internet das Coisas, muita gente imagina que somente os grandes empresários terão algum tipo de benefício com essas mudanças – o que não é verdade.

Ainda segundo a pesquisa realizada pela IDC, não somente as áreas de saúde, indústria, agricultura, manufatura e infraestrutura urbana colherão os frutos mediante adoção do conceito, como também o consumidor doméstico.

Apesar das barreiras ainda existentes no mercado brasileiro, os dispositivos conectados à Internet nas residências do país devem movimentar cerca de US$ 612 milhões (quase R$ 2 bilhões) em 2018, número que representa crescimento de 43% em comparação ao ano anterior.

Recomendado para você:  Internet das Coisas e marketing: Possibilidades e desafios

Quais as áreas mais favorecidas pela IoT?

Dos dispositivos inteligentes em casa ao controle tecnológico na indústria 4.0. A IoT pode ser explorada em incontáveis segmentos e, devido à essa tendência, as taxas continuarão crescendo exponencialmente por muitos anos.

Mas quais são os setores que estão mais bem preparados para abraçar a transformação digital e explorar os resultados gerados por essas mudanças?

Considerando que a digitalização não deve apenas conectar dispositivos e fazê-los funcionar, mas principalmente gerar algum tipo de rentabilidade e novas ofertas e oportunidades ao usuário, os setores que provavelmente apresentarão maior crescimento este ano no Brasil são:

A indústria

Aumento da eficiência e da produtividade através do monitoramento da cadeia de produção, além de melhorias relacionadas à segurança de trabalho com a instalação ou o ajuste de equipamentos que possam causar danos ou ameaças ao trabalhador.

O agronegócio

O uso de equipamentos de avaliação das condições do solo e estações climáticas para atingir melhorias na produtividade e diminuir riscos de perda relacionados às produções agrícolas ou pecuárias.

A área de saúde

Implementação de soluções tecnológicas para monitoramento e manutenção das condições dos pacientes em tempo real através de wearables.

A mobilidade urbana

Aplicação da IoT para aprimorar a mobilidade urbana, assim como serviços de iluminação e segurança pública, através de dispositivos de monitoramento. Em outras palavras, o desenvolvimento de cidades inteligentes, as chamadas smart cities.

O varejo

O setor varejista também passará a utilizar a IoT com maior frequência, principalmente através de soluções desenvolvidas para personalizar a experiência dos consumidores.  

Recomendado para você:  Pesquisa de mercado para varejo: benefícios e quais pesquisas fazer

Quais são os benefícios do investimento no país?

Dados como esses preveem inúmeros benefícios gerados no cenário nacional devido ao investimento em IoT no Brasil.

Cidades automatizadas, por exemplo, disponibilizam aos moradores ambientes urbanos e utilities mais seguros e funcionais. Dentre as soluções possíveis estão monitoramentos por vídeos capazes de detectar crimes e alertar funcionários da segurança pública em tempo real, a identificação de vazamentos de água através de sensores digitais, a otimização do tráfego e o tempo estimado de chegada dos meios de transporte urbano.

Na área da saúde, clínicas e hospitais podem disponibilizar dispositivos vestíveis conectados aos pacientes para monitorar dados em tempo real e permitir consultas médicas remotas, procedimentos de saúde que podem substituir cirurgias caras e demoradas, o rastreamento de medicamentos para evitar falsificações e a manutenção preditiva dos equipamentos hospitalares.

Nas indústrias de mineração, óleo e gás e construção, a IoT também pode oferecer inovações importantes através de caminhões automatizados operados remotamente, o monitoramento remoto de funcionários e oleodutos, assim como o acompanhamento de produtividade e segurança através das tecnologias vestíveis.

Já nos setores de varejo e serviços, a Internet das Coisas permite maior e melhor interação com consumidores de diversas áreas, incluindo supermercados, hotéis, restaurantes, shoppings e bancos, entre muitos outros.

O uso de sensores elimina as chances de roubo, a otimização do layout das lojas aprimora o merchandising e a oferta de promoções pode ser feita em tempo real, com o envio de cupons personalizados aos dispositivos móveis do usuário, de acordo com as preferências de cada um.

Em suma a IoT pode gerar muitos frutos para o desenvolvimento nacional, incluindo, também, aplicações para residências, escritórios e ambientes corporativos, veículos, fábricas e serviços de logística.

Também poderá gostar de:

Growth Hacking: o que é e como usar para fazer sua empresa crescer O termo Growth Hacking, que já é amplamente conhecido e disseminado nos Estados Unidos, vem se tornando cada vez mais po...
Os números da Transformação Digital no Brasil Porcentagens, valores, indicadores, estatísticas e pesquisas. Hoje, quero falar sobre os números da transformação digita...
AUTOR
Tiago Magnus (Autor convidado)

Tiago Magnus (Autor convidado)

Atuou nos últimos 10 anos em projetos digitais, trabalhando com marcas como Lenovo, Carmen Steffens, Mormaii, VTEX, Carrefour, Centauro, e como sócio de uma das principais agências digitais do Brasil. Hoje, é Diretor de Transformação Digital na ADVB e está à frente do portal TransformacaoDigital.com, empreendendo para democratizar o futuro.