Quando os bares e restaurantes voltam e mais dados sobre o impacto do coronavírus

Pedro D'Angelo
Quando os bares e restaurantes voltam e mais dados sobre o impacto do coronavírus

Se você está lendo este post, existe uma boa chance de ter chegado até ele por sentir saudades de jantar fora, almoçar no self-service ou sentar na mesa do bar.

Enquanto não conseguimos conter o avanço do coronavírus, muita gente sente falta de bares e restaurantes, fechados em razão do isolamento social. Esses estabelecimentos, que dependem de aglomerações para funcionar, estão pelo menos parcialmente impedidos de funcionar – o que causa impacto na economia e, claro, no comportamento do consumidor.

Mas afinal, qual é a perspectiva para esse setor, tão impactado pela economia?

Perguntamos isso aos consumidores brasileiros, em mais uma pesquisa exclusiva sobre o coronavírus no Brasil.

Os principais resultados você vê agora!

Percepções e hábitos de consumo de bares e restaurantes

Para avaliar o setor de bares e restaurantes durante a pandemia, demos um passo para trás e perguntamos para os consumidores brasileiros como eram os seus hábitos antes de tudo acontecer.

Por isso, quisemos saber quais foram os tipos de estabelecimentos mais frequentados para, em seguida, entender a perspectiva do consumidor sobre eles.

Investigamos estabelecimentos frequentados nos últimos 12 meses e, em seguida, aqueles que o brasileiro espera frequentar ainda em 2020.

A princípio, restaurantes self-services e praças de alimentação de shopping serão os mais impactados. Mas, nos dois casos, metade dos entrevistados ainda estão dispostos a frequentar esses estabelecimentos ainda este ano.

A pesquisa identificou uma oportunidade, tanto nos drive-thrus quanto no formato de quiosques e food trucks, que funcionam em ambiente aberto.

Quando os bares e restaurantes voltam e mais dados sobre o impacto do coronavírus

Futuro pós crise para os bares e restaurantes

Na nossa pesquisa sobre o setor de bares e restaurantes, investigamos também alguns cenários do que chamamos de “o novo normal”, pós crise do coronavírus.

Quisemos ir além e identificar quais medidas, dentre as diversas que já foram apontadas como prováveis mudanças, influenciaria positivamente o consumidor na hora de escolher um bar ou restaurante para frequentar.

Higienização do ambiente, álcool em gel, funcionários com máscaras, boa ventilação no local e espaçamento entre as mesas são as mais bem avaliadas, com mais de 80% dos entrevistados avaliando de forma positiva essas medidas.

Os menos apontados foram atendimento apenas com reserva ou agendamento e cozinha visível para os clientes. Mas, mesmo nesses casos, mais de 60% dos entrevistados dizem que influenciaria ou influenciaria muito a sua decisão.

A ideia menos aceita foi a obrigatoriedade do cliente levar seus próprios copos e talheres para evitar contaminação. Apenas 48% avaliaram positivamente essa medida.

Segmento de bares e restaurantes: como vão sobreviver?

Já sabemos que o impacto financeiro da pandemia é enorme. Mas com base nas percepções do consumidor, que alternativas para contornar a crise os bares e restaurantes podem ter?

Expusemos esse problema aos entrevistados para poder avaliar o que os clientes estariam dispostos a abrir mão, de forma a manter os bares e restaurantes em funcionamento. 70% disseram que estão dispostos a respeitar um tempo máximo na mesa.

Isso poderia aumentar a rotatividade das mesas e evitar que os clientes ficassem muito tempo no local sem consumir.

68%  dos entrevistados do nosso Painel de Consumidores também concordam em retirar a comida no balcão como uma
medida de redução de custos e também de prevenção à saúde, já que o garçom não ficaria circulando pelo local com a comida exposta.

Pensando especificamente nos self-services, 60% disseram que ficariam mais tranquilos se houvesse um funcionário servindo a comida.

O que os clientes estão menos dispostos a abrir mão, no entanto, é da agilidade do atendimento e do preços. 58% aceitariam um atendimento menos ágil, com menos garçons no local, e apenas 38% estão dispostos a pagar um pouco mais para ter a experiência de ir a um bar ou restaurante.

Os dados mostram que não será fácil para esses estabelecimentos se reerguerem, mas existem algumas possibilidades e caminhos a serem estudados.

Relatórios de pesquisa sobre a pandemia no Brasil

Os dados apresentados sobre o coronavírus nos bares e restaurantes estão presentes na pesquisa sobre hábitos na pandemia no Brasil que realizamos.

Para conferir a última edição + todos os materiais que lançamos sobre o tema, é só clicar no banner abaixo.

Quando os bares e restaurantes voltam e mais dados sobre o impacto do coronavírus

Leia e descubra dados sobre consumo de produtos, impacto na vida financeira, situação de profissionais prestadores de serviço e autônomos, e muito mais!

E se quiser continuar o papo sobre pesquisa de mercado, entre em contato com a nossa equipe. Você pode marcar uma consultoria gratuita com o time de especialistas do Opinion Box clicando no banner abaixo.

Sobre a pesquisa

A pesquisa sobre o impacto do coronavírus nos bares e restaurantes ouviu mais de 2 mil brasileiros, maiores de 16 anos, de todo o Brasil.

Enquanto durar a pandemia, toda semana ouviremos os brasileiros para investigar melhor o comportamento do consumidor nesse período. Além disso, o Opinion Box também divulga outros materiais para te ajudar a entender melhor o universo das pesquisas de mercado online.

Acesse a nossa seção de materiais e aprenda mais sobre pesquisa, aprenda a fazer seus questionários e desvende o comportamento do seu consumidor.

Caso tenha alguma demanda de pesquisa ou fique com alguma dúvida sobre o assunto, você também pode conversar com a nossa equipe. É só entrar em contato clicando no banner abaixo para marcar uma conversa gratuita com nosso time.

Também poderá gostar de:

AUTOR
Pedro D'Angelo

Pedro D'Angelo

É jornalista, mas decidiu aventurar-se com Marketing. Hiperativo e curioso por natureza, fala sobre qualquer assunto. Por isso, achou uma boa ideia sentar para escrever sobre eles.