Lógica de questionário: 3 erros comuns que você pode evitar

Daniela Schermann
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
Lógica de questionário: 3 erros comuns que você pode evitar

Ao criar um questionário de pesquisa de mercado no Opinion Box, você pode utilizar um recurso chamado lógica de questionário. Também conhecido no universo de pesquisa de mercado como salto, a lógica de questionário permite que direcionar o entrevistado por caminhos diferentes no questionário com base na resposta que ele escolhe em uma determinada questão.

Por exemplo, vamos imaginar uma pesquisa sobre seguros de carro que tenha a seguinte pergunta: “Você possui carro?”. Aqueles que responderem SIM vão continuar respondendo à pesquisa. Para os que responderem NÃO, o questionário se encerra, pois não há interesse em falar com este público.

O recurso de lógica no questionário é muito útil para segmentar o mailing, incluir perguntas de crivo ou ainda oferecer caminhos diferentes no questionário. Se você pergunta, por exemplo, se uma pessoa voltaria a comprar na sua loja, você pode fazer perguntas diferentes para quem responde SIM e para quem responde NÃO.

A lógica de questionário pode ajudá-lo a obter mais insights e informações, e também tornam o questionário mais enxuto para quem for responder. No entanto, é preciso tomar cuidado para não cometer alguns erros e aproveitar ao máximo as vantagens que a funcionalidade oferece. Vamos ver quais são os erros mais comuns, para que você possa evitá-los:

1. Não planejar o uso da lógica de questionário

Utilizar o recurso de lógica requer planejamento. Isso porque ele só deve ser aplicado se fizer sentido para a sua pesquisa. Se você vai usar a lógica como crivo, por exemplo, é necessário ter uma amostra maior de entrevistados.
Se vai criar dois caminhos de pesquisa, precisa planejar os caminhos que serão oferecidos, como se fossem dois questionários diferentes.

Além disso, para programar a lógica de questionário, é necessário que você crie todas as perguntas e depois aplique o recurso.

Lógica de questionário: 3 erros comuns que você pode evitar  

2. Utilizar muitas vezes a lógica de questionário

Imagine que a sua pesquisa tem uma amostra de 1000 entrevistados. A cada vez que você aplica a lógica, o número de pessoas que percorre cada caminho diminui. Se você utiliza muitas vezes a lógica no mesmo questionário, pode criar caminhos que pouquíssimas pessoas vão responder.

Isso prejudica a análise e torna o questionário complexo demais. Se houver situações em que menos de 50 pessoas vão responder a uma questão após o recurso da lógica, talvez não seja necessário aplicar a lógica.

3. Não testar o questionário

Lembre-se sempre de testar o questionário percorrendo todos os caminhos possíveis. Dessa forma, você evita erros de programação que podem inviabilizar toda a sua pesquisa. Na nossa Central de Ajuda, temos um tutorial detalhado que ensina como aplicar o recurso da lógica de questionário.

Ainda ficou com alguma dúvida? Entre em contato com a gente.

Lógica de questionário: 3 erros comuns que você pode evitarLógica de questionário: 3 erros comuns que você pode evitarLógica de questionário: 3 erros comuns que você pode evitarLógica de questionário: 3 erros comuns que você pode evitar

Também poderá gostar de:

Questionário: 21 dicas resumidas para criar um questionário eficaz Se você acompanha nosso blog, sabe que nós compartilhamos muitas dicas para criar o seu questionário. São posts que vale...
Pesquisa de mercado para iniciantes Se você nunca fez pesquisa de mercado porque acha que é caro ou difícil, este texto é para você. Nós vamos explicar tudo...
AUTOR
Daniela Schermann

Daniela Schermann

Jornalista e Líder de Marketing do Opinion Box, é especialista em Inbound Marketing e entende tudo sobre pesquisa e comportamento do consumidor. Prefere ser chamada só de Dani e está sempre aprendendo alguma coisa nova.

Daniela Schermann
Receba nossas novidades por e-mail