Panorama Opinion Box e Mobile Time: WhatsApp continua soberano e conquista com novidades e melhorias

Pedro D'Angelo
Panorama Opinion Box e Mobile Time:  WhatsApp continua soberano e conquista com novidades e melhorias

O fenômeno que se tornou o WhatsApp já não é uma pauta nova para ninguém. O aplicativo de troca de mensagens instantâneas mais popular do mercado já figura na lista de mais baixados há um bom tempo, lança novos recursos regularmente e não há mais dúvida de que a competição tem um caminho bem longo para alcança-lo. E foi justamente para reafirmar e analisar essa história de sucesso que, mais uma vez, lançamos o Panorama Mobile Time/Opinion Box: Mensageria no Brasil”.

Essa foi mais uma onda do estudo que vem sendo realizado pelo Opinion Box e o Mobile Time a fim de entender melhor a troca de mensagens no Brasil. Dessa vez, o Panorama ouviu 1.895 internautas brasileiros donos de aparelhos celulares – sendo que, do total de aparelhos, 89,2% são smartphones e os 10,8% são feature phones – celulares mais “simples”, com funções limitadas. A amostra novamente respeita as proporções de sexo, idade, faixa de renda e distribuição geográfica pelo país. A pesquisa tem margem de erro de 2,3 pontos percentuais e o nível de confiança de 95%.

WhatsApp x Concorrência

Alguns dos principais dados obtidos pela pesquisa se mantiveram muito parecidos com a última onda do estudo, realizada em julho do ano passado. O WhatsApp continua sendo, de longe, o aplicativo de troca de mensagens mais utilizado pelos brasileiros – presente em 89,5% dos smartphones dos entrevistados. Seguindo o mais popular dos apps continua o Facebook Messenger, que em julho de 2015 estava instalado em 50% dos aparelhos e agora se encontra em 57,9% das telas de smartphones.

Em terceiro lugar, posição mais disputada nos últimos seis meses, quem se destaca dessa vez é o Telegram, citado em 18,3% das entrevistas, superando o Skype, Viber e o Hangouts. Vale destacar que, seis meses atrás, o aplicativo era utilizado apenas por 5,7% dos usuários de smartphones que declararam usar apps de mensagens diferentes do WhatsApp e do Messenger.

Para continuar crescendo, WhatsApp investe em novidades

Já desde o ano passado, o WhatsApp mostra interesse em conquistar seus adeptos não apenas na troca de mensagens, mas também nas chamadas de voz. O serviço de ligações via aplicativo, lançado em 2015, assustou operadoras tradicionais de telefonia móvel – e com razão.

Quando lançamos a pesquisa de julho, descobrimos que 56% dos usuários que utilizaram o WhatsApp há menos de um mês tinham ao menos experimentado o recurso de mensagem por voz. Hoje, no mesmo grupo de adeptos do aplicativo, 94% dos entrevistados afirmaram ter realizado pelo menos uma mensagem de voz no último mês.

O número crescente de chamadas de voz via WhatsApp impressiona também pela boa avaliação do serviço por parte dos próprios usuários. Quando perguntados sobre a nota da qualidade das chamadas de voz, em uma escala de 1 (péssima) a 5 (excelente), mais de 53% dos respondentes deram notas entre 4 e 5. Se as operadoras de telefonia já vinham perdendo com a queda da utilização das mensagens SMS, as chamadas de voz também oferecem um risco.

E as novidades do WhatsApp não param por aí! No último mês, o aplicativo lançou ainda a funcionalidade de compartilhar documentos entre usuários, acrescentando documentos de texto, por exemplo, à lista de conteúdos compartilháveis que já contava com imagens, vídeos, contatos etc.

Saiba mais

Quer ainda mais dados sobre o estudo Mensageria no Brasil? O Mobile Time disponibilizou, gratuitamente, o relatório completo e analisado para download. Clique aqui e confira agora mesmo tudo o que descobrimos nessa parceria.

Também poderá gostar de:

7 ferramentas online para gerenciar seu negócio de qualquer lugar As dinâmicas do mercado de trabalho vêm mudando muito rapidamente com todas as mudanças que a tecnologia e, principalmen...
Panorama Mobile Time/Opinion Box: Uso de apps no Brasil O brasileiro paga por aplicativos para smartphone? O brasileiro faz compras dentro dos apps? Quais aplicativos mais comu...
AUTOR
Pedro D'Angelo

Pedro D'Angelo

É jornalista, mas decidiu aventurar-se com Marketing. Hiperativo e curioso por natureza, fala sobre qualquer assunto. Por isso, achou uma boa ideia sentar para escrever sobre eles.