Opinion Box Pesquisa: O que esperar da Black Friday 2015?

Pedro D'Angelo
Opinion Box Pesquisa: O que esperar da Black Friday 2015?

O dia 27 de novembro vem aí e, com ele, mais uma edição da Black Friday. A ação de vendas que acontece no Brasil há cinco anos está chegando para movimentar novamente o comércio, e o Opinion Box já se adianta. O consumidor brasileiro está disposto a gastar uma quantia considerável durante o período de promoções e descontos.

Repetindo a parceria entre o Opinion Box e o Mundo do Marketing que acontece desde o ano passado, realizamos novamente a pesquisa Perspectivas para a Black Friday. O relatório, que contou com a opinião de 1.226 internautas brasileiros, foi apresentado em primeira mão ontem, em um Hangout exclusivo com nosso COO, Felipe Schepers, e Bruno Mello, editor executivo do Mundo do Marketing.

Conforme constatou a pesquisa, 82% dos entrevistados pretendem comprar na Black Friday 2015. E quem está decidido a aproveitar o dia para comprar está separando uma boa quantia para gastar. 53% pretendem gastar acima de R$ 400, sendo que 38% querem gastar mais de R$ 500. Quanto às formas de pagamento, 58% das pessoas pretende pagar suas compras à vista, sendo que 26% querem utilizar cartão de débito e 23%, boleto à vista. Já 41% pretendem comprar com cartão de crédito parcelado sem juros.

Recomendado para você: Mobile Time e Opinion Box pesquisam: M-commerce tem salto de crescimento no Brasil

Problemas enfrentados em 2014

Com relação aos consumidores que compraram na Black Friday 2014, 83% viram vantagens e 1/3 não tiveram nenhum problema com suas compras. Mas os números positivos da última e a expectativa para a Black Friday 2015 não apagam a experiência ruim de alguns dos entrevistados no último ano.

Alguns pontos devem ser observados pelos varejistas para evitar transtornos com seus clientes. Entre os principais problemas enfrentados pelos consumidores na última edição, 16% sinalizaram que o desconto não era significativo em relação ao preço real, 13% não conseguiram acesso ao site, 10% tiveram problemas com a disponibilidade do produto e 5% apontaram que o produto chegou muito depois do prazo de entrega estipulado.

Além disso, os varejistas precisam saber que os consumidores estão cada vez mais atentos e desconfiados, principalmente por terem notado descontos pouco vantajosos ou promoções enganosas nas últimas edições. O que comprova isso é que apenas 29% confiam que as lojas oferecem um bom desconto.

Reverter a imagem negativa que a Black Friday adquiriu em edições anteriores, quando os internautas chegaram inclusive a apelidá-la de “Black Fraude”, continua sendo um desafio.

Comprar o quê?

Perguntados sobre que tipo de produto mais os atrai, os eletrônicos, eletrodomésticos, informática e roupas e acessórios são os que mais foram apontados. Com relação à escolha de lojas, nesta hora, não é o envio de email marketing com ofertas mirabolantes que vai pesar na decisão, e nem a fidelidade àquela loja que os consumidores sempre compram: 60% dos entrevistados afirmam que escolherão a loja com base no melhor preço encontrado. Simples assim.

Relatório completo

Quer saber mais sobre a pesquisa da Black Friday 2015? Para adquirir a pesquisa completa, com todos os dados e cruzamentos por sexo, classe social, diferenças de comportamento entre quem já comprou e quem nunca comprou em uma Black Friday no Brasil, todos os gráficos comparativos entre 2014 e 2015 e ainda uma análise detalhada preparada por um time de especialistas, basta entrar em contato pelo email felipe.schepers@opinionbox.com.

Também poderá gostar de:

Opinion Box pesquisa: Como os brasileiros realizam compras por aplicat... Você já realizou alguma compra através dos seus apps de smartphones? O Opinion Box, em parceria com a Mobile Time, quis ...
Comportamento do consumidor: como entrar na mente do seu cliente? É inquestionável que a forma das pessoas escolherem e comprarem os seus produtos mudou muito nos últimos anos. Hoje, que...
AUTOR
Pedro D'Angelo

Pedro D'Angelo

É jornalista, mas decidiu aventurar-se com Marketing. Hiperativo e curioso por natureza, fala sobre qualquer assunto. Por isso, achou uma boa ideia sentar para escrever sobre eles.

Daniela Schermann
Receba nossas novidades por e-mail