Panorama Mobile Time/Opinion Box: M-Commerce no Brasil

Daniela Schermann
Panorama Mobile Time/Opinion Box: M Commerce no Brasil

M-Commerce é a modalidade de compra do momento. Trata-se, basicamente, de compras efetuadas via aplicativos móveis. O Opinion Box e a Mobile Time realizaram uma ampla pesquisa para entender melhor o M-Commerce no Brasil.

A pesquisa foi realizada entre os dias 25 de agosto e 3 de setembro com 1.247 internautas. Foram respeitadas as proporções de idade, renda e distribuição geográfica do universo de internautas brasileiros. O nível de confiança da pesquisa é de 95% e a margem de erro é de 2,8 pp.

Panorama Mobile Time/Opinion Box: M Commerce no Brasil

No último dia 22, nosso CEO Christian Reed apresentou os resultados da pesquisa com exclusividade no evento Mobile+, em São Paulo. Hoje a gente compartilha aqui os principais resultados.

Panorama Mobile Time/Opinion Box: M Commerce no Brasil

Categorias mais compradas via M-Commerce

O uso de aplicativos para compra de mercadorias físicas já está se tornando popular. Nos últimos seis meses, 41% dos internautas brasileiros donos de smartphones fizeram pelo menos uma compra de bem físico através de um app móvel.

As quatro categorias de produtos mais comprados via smartphone pelos internautas brasileiros são: eletroeletrônicos, acessórios de moda, roupas e comida.

Panorama Mobile Time/Opinion Box: M Commerce no Brasil

Recomendado para você: Pesquisa de hábitos de consumo: como conhecer seu consumidor e tomar as decisões certas

Os apps mais utilizados para M-Commerce

É curioso reparar quais são os apps mais utilizados para compras. Quatro dos cinco principais aplicativos são marketplaces, ou seja, oferecem uma plataforma para que terceiros utilizem seus serviços. São eles: MercadoLivre (27%), Aliexpress (20%), OLX (13%) e iFood (11%). A única exceção nos cinco primeiros colocados é a Americanas.com, que aparece em quarto lugar (11%).

Vale ressaltar que a OLX, apesar de ter sido citada de forma espontânea pelos entrevistados, não permite compras efetivamente pelo app, apenas promove o contato entre o vendedor e o comprador.

Os táxis e os apps

18% dos entrevistados afirmaram ter pedido um serviço de taxi pelo aplicativo nos últimos seis meses. A pesquisa identificou também que dois aplicativos dominam o mercado e disputam a liderança de forma acirrada. Ao responderem qual app utilizam com mais frequência, 30% citaram o 99Taxis e 25% escolheram o Easy Taxi.

Para aumentar a discussão tão frequente na mídia e nas redes sociais, o aplicativo que aparece em terceiro lugar é o Uber, citado por 10% dos participantes. Os demais apps foram citados por menos de 5% dos usuários cada.

Panorama Mobile Time/Opinion Box: M Commerce no Brasil

Delivery via app

Se os serviços de delivery já eram ótimos aliados para os dias de preguiça, os apps de delivery se tornam o máximo da comodidade. Talvez seja por isso mesmo que pedir comida pelos smartphones (26%) é mais usual do que comprar ingressos (21%), pedir taxi (18%) ou reservar hotéis (12%).

Aqui, o líder do mercado é claro: 49% dos entrevistados responderam que o aplicativo que mais utilizam para pedir uma refeição é o iFood, o marketplace que também desponta entre os apps mais utilizados no geral.

Todos os demais ficaram com menos de 5% cada, tornando difícil nomear um segundo colocado.

Ingressos e hospedagens

1 em cada 5 entrevistados compraram um ingresso por aplicativo nos últimos seis meses, seja para ir ao cinema, teatro, show ou outro evento. Destes, 43% utilizaram o ingresso.com, que vende entradas para diferentes tipos de evento. Na sequência, aparecem os aplicativos Cinemark e ingressorapido.com, com menos de 10% cada um.

Já na categoria de hospedagens, 12% dos participantes realizaram uma reserva de hotel nos últimos 180 dias. Hotel Urbano (17%) e Booking (15%) disputam a liderança. Eles são seguidos por Decolar.com e Trivago, com 12% cada, e Hoteis.com e Trip Advisor com menos de 10% cada.

M-Commerce: em que estágio estamos?

A pesquisa foi apresentada no painel de abertura do Mobile+. O evento contou com a participação de nomes como o gerente de Marketing do MercadoLivre, Daniel Aguiar; o presidente do grupo TrendFoods (detentor das marcas China in Box e Gendai), Robinson Shiba; e o diretor da GSMA, Valter Wolf.

Após a apresentação de cada um, um debate com todos os painelistas discutiu a necessidade dos varejistas brasileiros adotarem o canal mobile. Todos concordaram que quem quer se destacar precisa agir com velocidade: “Este é o momento do mobile commerce. Quem não tem vai ficar para trás”, afirmou Cesar Bonadio, da Viewit Mobile.

Também poderá gostar de:

Panorama Mobile Time/Opinion Box: Com Whatsapp e Messenger, vai acaban... A popularidade do Whatsapp já não surpreende ninguém. O aplicativo de troca de mensagens está nas mãos de todo mundo há ...
Pesquisa Opinion Box revela o que o brasileiro pensa sobre o aborto Hoje, no Brasil, é possível realizar legalmente um aborto em casos de estupro, risco de fetos anencéfalos e quando há ri...
AUTOR
Daniela Schermann

Daniela Schermann

Jornalista e Head de Marketing do Opinion Box, é especialista em Inbound Marketing e entende tudo sobre pesquisa e comportamento do consumidor. Prefere ser chamada só de Dani e está sempre aprendendo alguma coisa nova.