As 10 perguntas de pesquisa de mercado mais comuns – e para que elas servem

Pedro D'Angelo
As 10 perguntas de pesquisa de mercado mais comuns   e para que elas servem

Pesquisas de mercado podem servir a inúmeros objetivos e te levar às mais diversas conclusões. Fazendo as perguntas certas, as respostas mais assertivas virão. Assim, pessoas e empresas podem tomar as melhores decisões. É por isso que vou dedicar este post às perguntas de pesquisa de mercado que estão sempre presentes nos questionários.

Ao encontrar qualquer uma dessas perguntas em um questionário de pesquisa, você já vai saber para que elas servem. E na hora de criar seus próprios questionários, lembre-se deste post antes de acrescentar alguma dessas perguntas mais comuns das pesquisas de mercado.

Pergunta de Sexo

Geralmente é assim que começa uma pesquisa de mercado. Entre as perguntas sociodemográficas, ou de caracterização, a de sexo costuma ser a primeira.

Identificar o respondente pelo sexo tem como objetivo identificar possíveis diferenças de comportamento entre homens e mulheres. Pessoas de sexos diferentes podem consumir produtos diferentes, ter hábitos de mídia distintos e gostar mais de uma ou outra rede social. Em uma pesquisa recente sobre redes sociais, por exemplo, descobrimos que mulheres gostam mais do Instagram do que homens. Ao mesmo tempo, eles usam mais o Twitter do que elas.

Qual é a sua renda familiar mensal?

Saber a renda dos respondentes é uma forma de fazer algumas leituras específicas nos resultados da sua pesquisa. Geralmente, como fazemos nas pesquisas do Opinion Box, a renda é calculada em forma de salários mínimos, que são divididos em classes sociais – A, B, C, D ou E.

Seguindo essa referência, utilizada pelo IBGE, podemos agrupar os respondentes de acordo com seu poder de compra. Assim, fica mais fácil direcionar preços, disponibilidade de produtos e estratégias de marketing e publicidade mais assertivas para cada classe.

Qual é a sua faixa etária?

Você e sua mãe usam o Facebook da mesma maneira? E seus filhos adolescentes, que aplicativos eles usam que você nem sabe usar? Esses são dois exemplos simples, mas que exemplificam bem a importância de perguntar a idade do respondente de uma pesquisa de mercado.

Pessoas em faixas etárias diferentes também se comportam de forma diferente em muitos aspectos. Tente agrupá-las, na sua pesquisa, por faixas etárias que vão apresentar comportamento mais parecido. Se sua pesquisa for respondida por pessoas de todas idades, você provavelmente vai tirar resultados interessantes ao analisar, separadamente, a Geração Z das pessoas com mais de 50 anos.

Qual é a sua cidade/estado?

Essa é última das perguntas de caracterização mais básicas. Saber de onde o respondente está dando sua opinião é importante por uma série de motivos. Primeiro, porque a localização também faz diferença ao identificar os hábitos de uma pessoa. Moradores de grandes centros urbanos consomem produtos de uma forma, diferente de quem mora no interior.

Para quem quer abrir um expandir um negócio, por exemplo, saber onde estão os consumidores que podem comprar seu produto é essencial. Se for trabalhar com ecommerce, também é importante saber se vai conseguir atender às demandas de entrega em locais mais distantes. Por isso, sempre saiba onde estão os seus consumidores, perguntando exatamente onde eles moram.

Dica: ao contratar uma pesquisa com o Painel de Respondentes do Opinion Box, você não precisa se preocupar em perguntar sexo, idade, renda familiar e região do país que o respondente mora. Essas informações já vêm automaticamente no banco de dados da sua pesquisa!

Qual é a primeira palavra que lhe vem à cabeça?

Essa é uma pergunta aberta que, no mundo do marketing, serve para medir o que chamamos de top of mind e atributos referentes a um produto ou a uma marca específica. Quando falamos em redes sociais, qual a primeira que vem à sua mente? E se o assunto é refrigerante, qual marca é a primeira na qual você pensa? Em estudos de mercado, fazer essa pergunta, de texto aberto, têm como objetivo descobrir marcas, empresas, produtos e termos dominantes naquela área que estamos investigando.

O quanto você concorda com essa afirmação?

Em uma discussão cotidiana na sua vida, você tem que testar o tempo todo o quanto as outras pessoas concordam com seu discurso. Nas pesquisas de mercado, não é diferente. Toda pesquisa tem um objetivo, um problema da pesquisa, que está sendo investigado. Esse problema parte de uma ou de uma série de hipóteses que serão comprovadas ou refutadas pelos respondentes.

Fazer uma pergunta que meça o grau de concordância do entrevistado é a melhor forma de propor ideias e descobrir o que seu público acha delas. Eles concordam ou discordam totalmente da sua proposta? Será que concordam, mas apenas um pouco ou estarão indecisos?

Você é o principal responsável pela compra?

De forma parecida com a pergunta de renda, essa pergunta de pesquisa de mercado tem por objetivo saber, de cara, se você tem poder de decisão sobre compras. Para investigar a aceitação do preço de um produto, por exemplo, você precisa falar com quem efetivamente colocaria o dinheiro para comprá-lo. Identifique logo na sua pesquisa de está falando com essa pessoa certa, usando essa pergunta.

Você compraria…?

Essa é bem fácil e direta. Uma pergunta de interesse de compra, como o termo já diz, quer saber se, no fim das contas, o respondente vai comprar o que quer que você esteja oferecendo. Ela aparece muito em testes de novos produtos, depois de explicar tudo sobre a novidade em perguntas anteriores. Você apresenta um conceito, um produto, oferece um preço. No fim, a pergunta que não quer calar é essa: e aí, você compraria ou não?

O quanto você está satisfeito…?

Sempre falamos por aqui da importância das pesquisas de satisfação. Elas são uma forma de conhecer melhor e acompanhar mais de perto seu consumidor. Clientes satisfeitos são essenciais para o sucesso de uma empresa ou marca.

As pesquisas de satisfação são a melhor forma de medir o sentimento do cliente e traçar estratégias assertivas para conquistá-los cada vez mais. Por isso, valorize essa pergunta. O quanto seu cliente está satisfeito com o atendimento na sua loja? O quanto ele está satisfeito, em uma escala de 0 a 10, com a entrega do produto na sua casa? Faça essas perguntas a si mesmo e faça-as ao seu consumidor.

Você indicaria o produto a seus amigos e conhecidos?

Ainda no contexto das pesquisa de satisfação, essa é uma forma interessante de medir o mesmo sentimento. No caso, essa pergunta está ligada à metodologia de pesquisa NPS.

O NPS, ou Net Promoter Score é uma metodologia de pesquisa de satisfação muito simples. A pesquisa de NPS tradicional se resume a uma pergunta: “Em uma escala de 0 a 10, o quanto você indicaria a nossa empresa para um amigo?”. A partir daí, empresas podem medir quem são os os clientes promotores da marca, os neutros e os detratores – aqueles insatisfeitos, que não comprariam novamente.

Já sabe as perguntas de pesquisa de mercado que vai fazer?

Com esses 10 tipos de pergunta, não necessariamente na mesma pesquisa, você já se sente pronto para criar um questionário agora mesmo? Se a resposta for sim, ótimo! Cadastre-se agora no Opinion Box e comece a fazer você mesmo suas pesquisas. Se for não, não se preocupe: estamos aqui para ajudar. Fale com nossa equipe, conheça melhor tudo o que envolve uma pesquisa de sucesso e vamos trabalhar juntos para criar uma pesquisa de mercado assim que estiver preparado.

Também poderá gostar de:

Como criar um questionário: 6 vídeos hilários da internet trazem 6 dic... Fazer uma pesquisa de mercado online está cada vez mais rápido, fácil e barato. Com as ferramentas digitais e os materia...
O inverno está chegando: vencendo no mundo dos negócios com pesquisa d... Seja você um empreendedor, um colaborador, um consultor ou mesmo um entusiasta do mundo dos negócios, você já deve ter s...
AUTOR
Pedro D'Angelo

Pedro D'Angelo

É jornalista, mas decidiu aventurar-se com Marketing. Aqui no Opinion Box, cuida de Projetos e Relacionamento com o Cliente. Hiperativo e curioso por natureza, fala sobre qualquer assunto. Por isso, achou uma boa ideia sentar para escrever sobre eles.

Daniela Schermann
Receba nossas novidades por e-mail