Liderança nas empresas: como a cultura de dados pode ajudar na gestão empresarial

Daniela Schermann
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
Liderança nas empresas: como a cultura de dados pode ajudar na gestão empresarial

O papel da liderança nas empresas modernas vem sendo amplamente discutido mundo afora. Um bom líder deve reunir muitas características para garantir tanto os resultados da empresa quanto o desenvolvimento dos talentos do time e um bom ambiente de trabalho.

Soma-se a isso ainda, uma boa gestão empresarial, ou seja, uma gestão que utilize da melhor forma os recursos financeiros, humanos e estruturais da empresa, obtendo os maiores resultados possíveis.

Um bom líder não se forma da noite para o dia. É preciso experiência, conhecimento técnico, inteligência emocional e uma série de outros atributos. Muitas dessas características de liderança são subjetivas. Variam de pessoa para pessoa e até mesmo de empresa para empresa.

Um CEO de uma startup precisa ter habilidades e características bem diferentes do CEO de uma multinacional. Da mesma forma, existem líderes que são mais técnicos e líderes que são mais voltados para coaching, por exemplo.

Não há como afirmar qual perfil de líder é o mais correto ou mais eficiente. Até porque muitas habilidades são comportamentais e inerentes a personalidades de cada um. Podem ser trabalhadas e aperfeiçoadas, mas são muito difíceis de ser completamente desenvolvidas, do zero.

Ainda assim, existem algumas estratégias que ajudam na gestão empresarial e que devem fazer parte da rotina da liderança de todas as empresas. A principal delas, na minha opinião, é a cultura de dados. E é sobre ela que eu quero falar mais detalhadamente com você hoje.

Cultura de dados: o que é isso?

Aqui no Opinion Box, nosso CEO tem uma frase que sintetiza bem a cultura de dados: “Se você tem dados, vamos analisá-los. Se tudo o que temos são opiniões, eu fico com a minha”. Uma empresa baseada em uma cultura de dados é uma empresa que toma decisões baseadas em números e dados concretos, e não em achismos.

Ao incentivar a cultura de dados, a liderança da empresa garante que os colaboradores tomem decisões mais maduras e seguras. Com isso, ela aumenta as chances de sucesso da organização como um todo.

O primeiro passo para criar uma cultura de dados, claro, é gerar dados. O ideal é que qualquer empresa comece a gerar dados a partir do seu primeiro dia de existência. Se a sua empresa já está operando e ainda não tem o costume de registrar dados, não se desespere. Comece a fazer isso agora mesmo.

Liderança nas empresas e cultura de dados

Com as novas tecnologias, as possibilidades de dados que podemos gerar sobre os clientes, os resultados financeiros, os processos e as atividades de cada departamento de uma empresa são infinitas.

Isso faz com que muitas empresas cometam um dos dois erros a seguir: desistem de medir qualquer coisa porque sabem que não vão ter capacidade de medir tudo, ou saem medindo tudo mas não conseguem acompanhar ou extrair inteligência de praticamente nada.

Como quase tudo na vida, é preciso encontrar o equilíbrio. Estabeleça quais são as principais métricas e indicadores que fazem parte do dia a dia da sua empresa. Comece medindo aquelas que você acha mais importantes para a gestão empresarial e depois aumente o seu banco de dados com outras informações.

Recomendado para você:  3 formas eficientes de gerar dados e obter inteligência competitiva

Além disso, é importante lembrar que nem todos os dados precisam parar na mesa do CEO. Por exemplo, pense nos dados gerados pelo time de marketing. É importante que o gestor de marketing saiba quantos emails estão sendo enviados, a taxa de abertura e de cliques de cada um deles, mas será que o CEO precisa acompanhar isso tudo?

Esse é o grande diferencial da cultura de dados. Ela não se limita apenas à liderança nas empresas. Todos os colaboradores se orientam por dados e sabem quais as métricas e metas mais importantes para o seu time.

A cultura de dados ajuda a liderança nas empresas a avaliar o desempenho dos times, mas também ajuda cada colaborador a se auto-avaliar. A ideia para bater as metas no fim do mês pode vir de um analista que está acompanhando atentamente os números. A justificativa para solicitar um orçamento vem embasada em dados, e não em “eu acho que essa ação pode dar certo”.

Cultura de dados, mas… que dados?

Eu estou o tempo todo falando sobre cultura de dados, e você pode estar se perguntando: “Mas onde eu encontro esses dados?”. Acredite, eles estão em todo lugar!

Você pode extrair dados internos de seu software de CRM e de outras ferramentas e plataformas que suas equipes utilizam. Dependendo do seu tipo de negócio, é possível obter dados de produção, processos ou logística. E não pense que você precisa ser uma grande empresa para ter uma liderança orientada pela cultura de dados.

Recomendado para você:  Data Driven Marketing e Pesquisa de Mercado: uma união de sucesso

Um exemplo simples? Pense em um trailer de cachorro-quente. Ao saber quantas unidades ele vende por dia, ele pode testar diferentes pontos e descobrir qual o melhor. Nessa conta tem que entrar, claro, a distância percorrida e o combustível gasto para chegar em cada ponto.

Se ele não contabiliza o custo para abastecer o tanque, os quilômetros rodados e a venda diária de cachorro quente, ele não consegue decidir qual o melhor ponto de venda com base em dados.

Existem muitas outras importantes fontes de dados para o dia a dia de uma empresa. Seus canais digitais, como site, redes sociais e aplicativos, geram informações muito valiosas. Acompanhe regularmente o analytics do seu site e monitore as métricas de todas as redes sociais em que sua marca está presente.

E claro, uma fonte de dados fundamental é a pesquisa de mercado. Ao fazer uma pesquisa de mercado, você conversa diretamente com os consumidores e pode saber o que eles pensam sobre sua marca, produto ou serviço.

Cultura de dados e pesquisa de mercado

Existem diferentes tipos de pesquisa de mercado que uma empresa pode fazer para ajudar na tomada de decisão.

As pesquisas de satisfação, por exemplo, ajudam a entender se os seus clientes estão satisfeitos com seu produto ou serviço. As pesquisas de pré-teste de campanha avaliam o seu material de comunicação, antes que ele seja lançado para seu público-alvo. As pesquisas de hábitos de consumo permitem que você conheça melhor suas buyer personas e entenda o seu comportamento de compra. Dessa forma, você pode tomar uma série de decisões importantes, que vão ter resultados mais efetivos.

Liderança nas empresas: como a cultura de dados pode ajudar na gestão empresarial  

Liderança nas empresas e pesquisa de mercado

Além da pesquisa de mercado ser uma importante fonte de dados, ela também é uma ferramenta estratégica para a liderança nas empresas. Além de ouvir os consumidores, você também pode ouvir os seus próprios colaboradores.

A pesquisa de clima organizacional ajuda a avaliar o ambiente de trabalho e a satisfação dos colaboradores. Ela é fundamental para ouvir as sugestões e críticas valiosas, além de ajudar a reter talentos e antecipar problemas de cultura.

Recomendado para você:  3 modelos de questionário de clima organizacional para sua empresa

Lembre-se de compartilhar com seus colaboradores os resultados de todas as pesquisas que realizar, tanto as internas quanto as externas. Um ambiente transparente também faz parte da cultura de dados e de uma moderna liderança nas empresas.

Liderança nas empresas: como a cultura de dados pode ajudar na gestão empresarialLiderança nas empresas: como a cultura de dados pode ajudar na gestão empresarialLiderança nas empresas: como a cultura de dados pode ajudar na gestão empresarialLiderança nas empresas: como a cultura de dados pode ajudar na gestão empresarial

Também poderá gostar de:

Data Driven Marketing e Pesquisa de Mercado: uma união de sucesso Uma das maiores falácias que existem hoje em dia é o Data Driven Marketing. Isso porque o marketing sempre foi guiado po...
3 formas eficientes de gerar dados e obter inteligência competitiva Inteligência competitiva é um processo contínuo de monitoramento e análise estratégica, fundamental para qualquer empres...
AUTOR
Daniela Schermann

Daniela Schermann

Jornalista e Líder de Marketing do Opinion Box, é especialista em Inbound Marketing e entende tudo sobre pesquisa e comportamento do consumidor. Prefere ser chamada só de Dani e está sempre aprendendo alguma coisa nova.

Daniela Schermann
Receba nossas novidades por e-mail